Pena de Delúbio passa dos 8 anos de prisão por quadrilha e corrupção ativa

STF concluiu a dosimetria do núcleo político do PT; Dirceu teve pena de 10 anos e 10 meses de prisão e Genoino, de 6 anos e 11 meses

iG São Paulo |

O Supremo Tribunal Federal (STF) fixou a pena do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares em 8 anos e 11 meses de prisão: 2 anos e 3 meses pelo crime de formação de quadrilha e 6 anos e 8 meses por corrupção ativa no pagamento a parlamentares no processo do mensalão. O ex-ministro José Dirceu foi condenado a 10 anos e 10 meses de prisão pelos mesmos crimes.

Leia mais: Genoino é condenado a quase 7 anos de prisão por quadrilha e corrupção

Leia também: STF condena Dirceu a 10 anos e 10 meses de prisão

Agência Estado
Delúbio é condenado a mais de 8 anos de prisão

O ex-presidente do PT José Genoino cumprirá pena de 6 anos e 11 meses de prisão : 2 anos e 3 meses pelo crime de formação de quadrilha e 4 anos e 8 meses por corrupção ativa no episódio de compra de votos de parlamentares. As penas ainda são provisórias. No caso do ex-presidente do partido, se a somatória for mantida, ele deve cumprir a pena em regime semi-aberto. A dosimetria definitiva e o regime de cumprimento serão decididos no final do julgamento.

Antes da definição da pena de Delúbio, a sessão havia sido suspensa para um intervalo de 30 minutos devido à ausência do revisor Ricardo Lewandowski. O ministro deixou o plenário após um bate-boca com o relator Joaquim Barbosa .

Leia mais: Penas do núcleo publicitário do mensalão ultrapassam 100 anos

Cronologia: Linha do tempo explica o que foi o escândalo que marcou o governo Lula

Mensalão: Veja o dia a dia do maior julgamento da história do STF

A decisão de Barbosa de fixar hoje as penas dos integrantes do núcleo político do esquema foi o que provocou novo embate com Lewandowski. O revisor se disse surpreendido e reclamou. O relator acusou Lewandowski de fazer "joguinho" e obstruir a votação. Irritado, o revisor se retirou do plenário e não retornou até o intervalo.

*Com Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG