Eleições municipais tiveram o menor custo em 16 anos, informa TSE

O custo foi de R$ 2,81 por eleitor, o menor valor desde a adoção da urna eletrônica no País; em 2008, a média foi R$ 3,75, e em 2000, R$ 4,45

Agência Brasil |

Agência Brasil

As eleições municipais de 2012 tiveram o menor custo desde a adoção do sistema de votação por urna eletrônica, em 1996. Segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as eleições custaram R$ 2,81 por eleitor – em 2008, últimas eleições municipais, a média foi R$ 3,75, e em 2000, R$ 4,45.

Mesmo com aumento do número de eleitores, o gasto bruto total também é o menor em relação aos anos anteriores: R$ 395,2 milhões.

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Eleições 2012: TSE avalia como preocupante alto índice de abstenção

De acordo com a presidenta do TSE, ministra Cármen Lúcia, vários fatores podem ter influenciado essa redução. “Os tribunais foram firmes para gastar só o que podiam. Não que as outras gestões não tivessem feito isso, mas, desta vez, houve um planejamento diferente”, disse a ministra.

Entre os fatores citados, estão a instalação de comitês de representação das polícias nos tribunais locais, logística mais apurada no transporte de urnas e na substituição de aparelhos defeituosos, participação de milhares de mesários voluntários e a votação pelo sistema biométrico.

Recursos dos candidatos

Cármen Lúcia também afirmou que a Corte deve julgar todos os recursos pendentes sobre registro de candidaturas até a data da diplomação dos eleitos, no dia 17 de dezembro. De acordo com a ministra, a projeção é possível devido ao ritmo dos julgamentos até o momento.

O TSE recebeu, ao todo, 8,3 mil processos relacionados às eleições municipais deste ano, sendo que 7,7 mil são recursos relacionados a registros de candidatura. Até agora, 5,4 mil processos foram julgados.

Sistema biométrico

A votação pelo sistema biométrico, que é o reconhecimento do leitor por sua digital, deve ser ampliada em 2014, segundo Cármen Lúcia, mas ainda não há decisão sobre quantas cidades deverão aderir.

A ministra participou, nessa manhã, de reunião com 23 presidentes de tribunais eleitorais regionais para discutir os números das eleições deste ano e programar melhorias para daqui a dois anos. De acordo com Cármen Lúcia, os presidentes terão prazo de 15 dias para informar as cidades onde a biometria poderá ser implantada futuramente.

Neste ano, o sistema de reconhecimento digital foi aplicado em 298 municípios de 24 estados, com a participação de 7,8 milhões de eleitores. Os índices de reconhecimento das impressões digitais alcançaram 94,18% no primeiro turno e 96,53% no segundo turno.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG