Amorim recebe ministro francês e reacende debate sobre compra de caças

Ministro da Defesa teve reunião com Jean-Yves Le Drian, mas não falou sobre teor da conversa; negociação sobre compra de aeronaves se arrasta há mais de uma década e estacionou após posse de Dilma

iG São Paulo | - Atualizada às

O ministro da Defesa, Celso Amorim, reuniu-se na manhã desta segunda-feira com o ministro da Defesa da França, Jean-Yves Le Drian, reabrindo o diálogo sobre a compra de caças para reforçar a frota da Força Aérea Brasileira (FAB). A negociação, que já se arrasta há mais de uma década, estacionou novamente após a posse da presidenta Dilma Rousseff, que decidiu recolocar em análise as opções do Brasil na compra das aeronaves. 

Saiba mais: Processo da compra de caças completa 12 anos sem definição

Amorim e Le Drian mantiveram sigilo sobre o teor da conversa. Diante da insistência dos jornalistas para que abordassem o tema, Amorim brincou: “É uma pergunta de vários milhões de euros ou de dólares, não sei exatamente ( qual é a moeda ), mas de qualquer maneira é ( um assunto ) de vários milhões de Reais.”

Os franceses estão na concorrência pelo negócio com o caça Rafale, produzido pela Dassault Aviation. Em 2009, logo antes do o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixar o Palácio do Planalto, o governo chegou a sinalizar que o caça francês era favorito na negociação, mas as conversas não avançaram.

Leia também: Rafale, Super Hornet e Gripen travam 'guerra' por venda de caças

Estimada em aproximadamente US$ 5 bilhões, a compra de 36 novos caças para a FAB inclui ainda duas outras fabricantes: a sueca Saab, que oferece ao Brasil o modelo Gripen NG, e a americana Boeing, que compete com o F/A-18 Super Hornet. 

Na conversa, ambos prometeram aprofundar os projetos de parceria estratégica na área de defesa. Há propostas sobre compra e venda de submarinos e helicópteros militares, além de medidas técnicas. Existe um projeto conjunto para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

“Tenho satisfação em receber o ministro da França, com a qual o Brasil tem cooperação em vários domínios, muito importantes na área da defesa. A França ajudou a fazer o Exército moderno no Brasil, a cooperação entre os dois países teve um impulso nos últimos anos”, disse Amorim.

*Com informações da Agência Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG