Russomano critica Haddad e não revela seu voto neste segundo turno

Candidato derrotado no primeiro turno em São Paulo afirmou que foi alvo de 'ataques' mentirosos das campanhas adversárias: 'As metralhadoras vieram todas para mim'

Agência Estado |

Agência Estado

O candidato derrotado do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno , votou nesta manhã em um colégio no Morumbi, na zona sul da capital. Ao chegar ao local de votação, o ex-deputado criticou os "ataques" sofridos no fim do primeiro turno, dando ênfase aos proferidos pelo candidato petista, Fernando Haddad , que explorou brechas da proposta de Russomanno de cobrar tarifa proporcional ao trecho percorrido dos usuários de ônibus na capital paulista.

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Futura Press
Celso Russomanno vota em colégio do Morumbi neste domingo (28)


Leia também:  Ao votar, Serra admite campanha 'difícil', mas se diz otimista

"Ele ( Haddad ), na campanha, usou isso para dizer que uma pessoa que subisse no ônibus, descesse logo em seguida e subisse no outro ia pagar R$ 16. Todo mundo sabe que isso é uma mentira, isso nunca ia acontecer. Os marqueteiros dele usaram isso em beneficio dele. Eu acho triste isso", afirmou Russomanno, que chegou a liderar a campanha durante grande parte do tempo antes do primeiro turno, mas perdeu força após as ofensivas dos adversários.

Leia mais: Kassab nega que seu alto índice de rejeição tenha prejudicado Serra

Russomanno disse também que o nível de ataques pessoais observado durante as campanhas são uma amostra de que a democracia brasileira ainda não está "madura". "Os ataques não deveriam acontecer de nenhum dos lados. Acho que os eleitores de São Paulo merecem que a gente fale só da cidade, sem menções aos problemas que os partidos políticos têm. Infelizmente ainda não chegamos a esse amadurecimento na política brasileira", avaliou.

Saiba mais: 'São Paulo hoje é Brasil', diz Haddad ao votar

Ele não revelou em qual dos dois candidatos votou. "Isso é segredo".

O ex-deputado afirmou que as pesquisas já apontam quem deve ser o novo prefeito de São Paulo. "As pesquisas estão falando aí, né?" Indagado se acredita em pesquisas de intenção de votos, já que, poucos dias antes do primeiro turno, apontavam ele como líder, o ex-candidato tentou justificar sua performance: "Pois é, mas eu fui vítima de um verdadeiro ataque, as metralhadoras viraram todas para mim", concluiu.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG