'PSOL não esperava vencer em Macapá', diz senador

Randolfe Rodrigues avalia vitória do colega Clécio Luis como “grande desafio” para o partido e desponta como principal nome ao governo do Amapá, tradicional reduto de José Sarney

Nivaldo Souza - iG Brasília | - Atualizada às

O PSOL sai das eleições municipais com duas prefeituras, Itaocara (RJ) e Macapá (AP), após sofrer  uma virada avassaladora do PSDB em Belém (PA). As vitórias não colocam o partido numa posição confortável como a do recém-criado PSD , mas mantêm a legenda lançada pela ex-senadora Heloisa Helena, em 2006, no cenário político nacional e pode servir de palco para o partido alcançar seu primeiro governo estadual em 2014. “O Clécio (Luis) não esperava a vitória. O PSOL não esperava vencer em Macapá. Foi um grande desafio”, afirma ao iG o senador Randolfe Rodrigues.

1º turno: Com apenas um prefeito eleito, PSOL se compara ao PT de 1982

Apesar da vitória apertada de Clécio sobre o atual prefeito Roberto Góes (PDT) – apenas 2.369 votos, ou 1,18% sobre os 200.153 eleitores que compareceram às urnas neste domingo – transforma o Amapá como maior reduto do PSOL no País em meio ao enfraquecimento de Heloisa Helena.

Leia:  PSOL conquista primeira prefeitura de capital em Macapá

Os socialistas viram a líder da legenda conseguir menos votos que o esperado para a Câmara de Maceió. Heloisa obteve 29.516 votos, consagrando-se a mais votada da capital de Alagoas. Mas ficou distante dos quase 93 mil votos atingidos por ela na cidade em 2006, quando então senadora terminou a disputa pela Presidência em terceiro lugar, com 6,5 milhões de votos

O Amapá soma, agora, a prefeitura da capital, dois vereadores e uma cadeira no Senado, onde Randolfe tem se destacado na CPI do Cachoeira após obter a vaga no tradicional reduto do senador José Sarney (PMDB-AP).

Rodrigues desconversa sobre uma possível candidatura ao governo do estado em 2014, mas destaca Macapá como etapa importante para consolidar a legenda. “Antes de pensar em governo estadual ou a Presidência da República, temos o desafio de melhorar a vida das pessoas em Macapá”, diz. “Cada dia com sua agonia e sua alegria, eu não pensava em ser senador.”

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG