O deputado federal do PSB derrotou Márcio Pochmann do PT com 57,69% dos votos

Jonas Donizette (PSB)durante a campanha em Campinas
Facebook
Jonas Donizette (PSB)durante a campanha em Campinas

Jonas Donizette (PSB) é o novo prefeito de Campinas, o maior colégio eleitoral do interior de São Paulo, com 785 mil votantes. Com 57,69%, Donizzette derrotou Marcio Pochmann (PT). As abstenções, votos brancos e nulos somaram 30,3%. 

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

A disputa em Campinas ganhou atenção da cúpula dos principais partidos nacionais. Donizette tinha o apoio político de Eduardo Campos, cacique do PSB e governador de Pernambuco, além de Geraldo Alckimin e Aécio Neves, do PSDB. Os dois últimos fizeram campanha in loco para ele. O vice da chapa do prefeito eleito, Henrique Teixeira, foi escolhido pelos tucanos.

Já Pochmann, ex presidente do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), foi escolhido por Lula e recebeu apoio da presidenta Dilma Rousseff. Campinas foi a única cidade fora da capital que teve a participação de Dilma e Lula em comícios e configurou mais um dos embates em que o partido do trabalhadores disputou o segundo turno com algum candidato da base aliada da presidência.  Este cenário foi repetido em 13 das 22 cidades que tiveram petistas participando no segundo turno

Dilma e Lula participam de comício do candidato Márcio Pochmann (PT)
Futura Press
Dilma e Lula participam de comício do candidato Márcio Pochmann (PT)

Donizette assume a prefeitura de Campinas após um escândalo político. Denúncias de corrupção levaram à cassação Hélio de Oliveira Santos (PDT), o Dr. Hélio, e do vice Demétrio Vilagra, do PT. O governo municipal passou a ser comandado por Pedro Serafim (PDT), que tentou a reeleição mas não avançou para o segundo turno.

Jonas Donizette é deputado federal pelo PSB paulista, discípulo de Alckmin mas também é aliado no governo federal da presidenta Dilma. Desde o primeiro turno, ele explorou essa aliança “flex” como garantia de que além do apoio do PSDB em São Paulo, terá portas abertas entre os petistas no governo federal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.