Kassab articula controle de base governista na Câmara de São Paulo

Atual prefeito da capital atua para manter o controle da Câmara Municipal com o PSD, independentemente do partido que vencer a eleição de domingo

Agência Estado |

Agência Estado

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), atua para manter o controle da base governista na Câmara Municipal, independentemente do partido que vencer a eleição de domingo (28). Kassab, aliado do tucano José Serra , encontrou-se com vereadores e discutiu o controle da maioria no Legislativo paulistano, mesmo em um cenário de vitória do candidato do PT, Fernando Haddad .

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Leia mais: PSD sai das urnas como 4ª força política do País, mas não avança nas capitais

A quatro dos sete vereadores do PSD, em reunião no sábado (20) à noite, o prefeito deixou claro que é ele quem vai mandar na bancada, a segunda maior da Câmara , a partir de 2013. "O acordo federal do partido sempre vai ser respeitado. Temos como objetivo político ajudar a governar, e não a destruir. Seja quem for o vencedor", afirmou ao jornal Estado de S. Paulo o vereador Marco Aurélio Cunha, líder do PSD na Câmara.

Kassab, que com o PSD controla a terceira maior bancada no Congresso, deve ganhar ainda neste ano um ministério no governo da presidente Dilma Rousseff. A aliados disse que poderá ter até dois ministérios.

Leia também:  Mais desconfiado, eleitor resiste aos votos de legenda

Herança: Malufismo é varrido da Câmara Municipal de São Paulo

O prefeito deve pedir apoio de seus aliados para a reeleição do presidente José Police Neto (PSD), o que manteria o prefeito no comando do Legislativo paulistano. "Ele já começou a articular sua base para tentar negociar com o futuro prefeito a presidência da Casa. O Kassab precisa de poder político para chegar forte em 2014. E todo vereador gostaria de ter um negociador habilidoso como Kassab para negociar com o Executivo", afirmou um parlamentar do PTB próximo do prefeito, que pediu sigilo do nome.

Nova Câmara: Legislativo paulistano troca 40% dos atuais vereadores

O PT também já conta com o PSD e outras siglas da base kassabista para formar sua base. O partido dá como certa a composição com o partido do prefeito e com o PR e o PV, caso seja confirmada a vitória de Haddad no domingo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG