Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) se reuniu com deputados do PSC, enquanto Júlio Delgado (PSB-MG) manteve conversas com Aécio Neves e líder do PSD

O esforço concentrado desta semana serviu para que os dois nomes já colocados informalmente na disputa pela Presidência da Câmara entrassem em franca campanha. O líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), jantou na terça com deputados do PSC em busca do apoio dos 16 deputados do partido. O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) manteve conversas com o líder dos tucanos na Câmara, deputado Bruno Araújo (PE), com o líder do PSD, Guilherme Campos (SP) e com o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Leia:  Após crescer na eleição, PSB estuda lançar candidato à presidência da Câmara

Deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB) jantou com deputados do PSC
Agência Estado
Deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB) jantou com deputados do PSC


Apesar de estar na Casa ao lado, Aécio Neves tem influência que pode ser considerada decisiva junto aos deputados tucanos mineiros. O PSDB tem 52 deputados e o PSD, 47. As duas bancadas representam a terceira e a quarta bancada na Câmara e estão na mira dos dois candidatos.

Saiba mais:  'Independentes' querem candidatura alternativa no Senado

A aposta de Júlio Delgado é que o PSDB não irá resistir à possibilidade de se “fraturar” a aliança entre os dois maiores partidos da base, PMDB e PT. Os dois partidos fecharam acordo em 2010, que garante ao PMDB comandar o Senado e a Câmara no próximo ano. “O apoio de Aécio é importantíssimo. É claro que interessa ao PSDB fraturar essa aliança”, ponderou o deputado. O acordo tem apoio do Palácio do Planalto.

Delgado diz contar também com apoio de deputados do PDT, do DEM, do PTB, do PSOL e do bloco formado pelo PV e PPS.

Bruno Araújo, por sua vez, disse que o PSDB não descarta qualquer hipótese na suscessão. Nesse leque de opções, o líder dos tucanos na Câmara lembrou que o partido, em algumas ocasiões, respeitou o princípio da proporcionalidade, que garante à maior bancada o comando da Casa e, em outras, lançou candidatura própria.

O tucano citou a candidatura do então deputado tucano Gustavo Fruet (PR) em 2007 representanto o grupo entitulado terceira via. “Nós já respeitamos a poporcionalidade e já lançamos candidato próprio. Tudo isso pode ocorrer. Teremos essa conversa após o segundo turno na bancada”, disse Araújo.

O apoio dos tucanos por meio de Aécio Neves também tem sido uma busca do peemedebista. Henrique Eduardo Alves também manteve conversas com o presidente do PSB, Eduardo Campos (PE), com o objetivo de isolar a candidatura de Delgado.

No último encontro da executiva do PSB, na semana passada, Campos preferiu deixar as discussões sobre suscessão na Câmara para depois do segundo turno. O deputado Júlio Delgado, no entanto, se esforça para provar ao próprio partido a viabilidade de sua candidatura.

O líder do PR na Câmara, deputado Lincoln Portela (MG), disse que há unidade no bloco parlamentar de 43 deputados em apoio a candidatura de Henrique Eduardo Alves. Além do PR, o bloco reúne os deputados do PTdoB, PRP, PHS, PTC, PSL e PRTB. Atuando em conjunto, esses partidos formam a quinta bancada na Câmara.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.