José Dirceu diz que urnas confirmam força do PT e de Lula

Ex-ministro afirma que ida de Fernando Haddad ao segundo turno em São Paulo é "vitória extraordinária"

Agência Estado |

Agência Estado

O ex-ministro José Dirceu afirmou nesta segunda-feira, 8, que o resultado das urnas "confirmaram a força político-eleitoral" do PT e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em seu blog, o principal acusado do mensalão disse que a ida do candidato petista Fernando Haddad para o segundo turno, em São Paulo, é uma vitória política "extraordinária" para o partido e que a disputa na segunda fase em Campinas (SP), com o petista Márcio Pochmann, "tem sabor de desforra".

Leia também: PT resiste a ataques sobre mensalão e reacende força de Lula

Dirceu ainda analisou em seis artigos publicados em seu blog hoje sobre as eleições municipais, os números de candidatos eleitos por partidos, apontou derrotas do PSDB e do DEM e listou os locais onde a disputa ainda continua até o dia 28.

"A vitória do nosso candidato a prefeito, Fernando Haddad (PT e partidos aliados) ao passar para o segundo turno é extraordinária, dentre outras razões políticas, porque confirma a força do PT na capital e no Estado e a liderança do ex-presidente Lula", escreveu Dirceu.

Hoje, com a retomada do seu julgamento no mensalão, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Dirceu deve permanecer em sua casa em Vinhedo, no interior de São Paulo, depois de ir para a capital no domingo para votar.

"É uma vitória excepcional porque em São Paulo lutamos contra duas máquinas, a da prefeitura da capital e a do governo do Estado", disse o ex-ministro. No Estado todo, ele classificou como "incontestável" a vitória do PT e aliados. "Elegemos ontem prefeitos em nada menos que 3 municípios, candidatos próprios em praticamente 10% dos 645 municípios do Estado."

Resultado nas urnas: PMDB é o partido que mais elegeu prefeitos em todo o País

O ex-ministro afirma ainda que a ida do candidato do PT para o segundo turno em Campinas tem "sabor de desforra". Pochmann foi indicado pelo ex-presidente Lula para a disputa por ser alguém que estava fora da cidade, quando o partido se envolveu no maior escândalo de corrupção da prefeitura, durante o governo Hélio de Oliveira Santos (PDT), em 011 - quando uma megaoperação do Ministério Público levou 11 pessoas para a cadeia por corrupção e desvios de recursos.

O vice-prefeito Demétrio Villagra, do PT, foi um dos detidos e alvo de processo na Justiça. Após a cassação de Dr. Hélio, em agosto de 2011, assumiu a prefeitura, mas também acabou cassado em dezembro pela Câmara de Vereadores.<p><p>Nas urnas, Pochmann levou a disputa para o segundo turno com 28% dos votos válidos, contra 49% do líder Jonas Donizette (PSB) - mesmo tendo que responder aos ataques sobre o mensalão e o escândalo de corrupção na prefeitura.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG