Segundo turno em Fortaleza expõe antagonismo local entre PT e PSB

Tanto do lado de Elmano quanto do de Roberto Cláudio as críticas se tornaram mais agressivas já no discurso pós-apuração

Daniel Aderaldo - iG Ceará |

Divulgação
Elmano comemora ida ao 2º turno com Luizianne

Nem bem a apuração dos votos em Fortaleza havia sido concluída, confirmando o segundo turno entre Elmano de Freitas (PT) e Roberto Cláudio (PSB), e o antagonismo local entre os dois partidos recém-separados na capital cearense começou a ser exposto de forma patente. De um lado e de outro, as críticas se tornaram mais agressivas e os ataques, pessoais.

Resultado:  Elmano de Freitas e Roberto Cláudio disputam o 2º turno em Fortaleza

No comitê central do PT, localizado no bairro Benfica, reduto histórico do partido em Fortaleza, a declaração de guerra partiu da prefeita Luizianne Lins (PT): “Fortaleza não vai deixar coronel nem filhote de coronel governar”.

Leia mais:  Elmano de Freitas espera Lula em Fortaleza no segundo turno

Cid Gomes sobre Lula em Fortaleza: “Se ele não vier, melhor”

A petista se referia a Roberto Cláudio e seus principais apoiadores, o governador Cid Gomes (PSB), e seu irmão mais velho, o ex-ministro Ciro Gomes (PSB). “Eles não conhecem nada da cidade", disparou durante discurso de comemoração para uma multidão formada por milhares de militantes, sobre um palco de três metros de altura.

Divulgação
Roberto Claúdio comemora ida ao segundo turno

Segundo os números finais divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o petista foi o mais votado, com 25,44% dos votos válidos, enquanto o candidato apoiado pelo governador Cid Gomes terminou em segundo, com 23,32%.

Moderado, Elmano deixou a aspereza por conta de sua madrinha política, mas ressaltou a cisão com os ex-aliados. “Nós representamos forças políticas no Ceará e em Fortaleza que têm a sua história. E essas histórias vão ser comparadas pelo eleitor".

Leia também: Acompanhe no iG a apuração em tempo real

O candidato petista afirmou ainda que irá conversar com os oito candidatos que ficaram no caminho, mas disse não considerar o apoio de partidos no segundo turno “decisivo” para o eleitor. “Decisivo são os critérios que o eleitor utilizou para votar nesses candidatos”, ponderou em conversa com o IG, por volta das 22 horas, pouco antes de deixar o local.

A dez quilômetros dali, no comitê central da candidatura do PSB, Roberto Cláudio, também cutucou a ferida aberta. “As coisas agora ficaram mais claras. A cidade tem uma opção do candidato de continuidade da atual gestão e a de um candidato que apresente um projeto de renovação. A cidade pode e merece muito mais”.

“A nossa gente está precisando de mais saúde, de mais educação, de transporte público, saneamento e infraestrutura”, avaliou. Por outro lado, rasgou elogios aos candidatos derrotados, desejados apoiadores para o segundo turno. “Vou procurar cada um dos que debateram de forma polida, elegante e educada os destinos da cidade. Irei procurar todas e ouvir boas ideias e incorporar ao programa de governo”.

Mais enfático, Ciro Gomes chamou a gestão petista de “modelo cansado” e “sujo”. Também disse que o PSB é contra o “clientelismo” e a “fisiologia” na Prefeitura de Fortaleza. Preocupado com os destinos da aliança com o PT em nível estadual e nacional, Cid Gomes foi mais polido que o irmão.

Apoio

Terceiro colocado com 20,97% dos votos válidos, Heitor Ferrer (PDT) é o apoiador mais almejado. O pedetista já avisou que irá se reunir com a cúpula do partido para decidir como irá se posicionar no segundo turno.

Deputado estadual, Férrer é o maior opositor de Cid Gomes na Assembleia do Ceará. Contudo, faz oposição isolada, já que o PDT faz parte da base aliado do governo. Por outro lado, durante a campanha e ao longo dos mandatos, sempre evitou criticar a gestão de Luizianne.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG