Alvo de denúncias, Orlando Silva sai derrotado na eleição para vereador de SP

Em 2011, ex-ministro do Esporte foi acusado de ter recebido propina de ONGs em troca do repasse de verbas do governo

iG São Paulo |

AE
Orlando Silva teve 0,35% dos votos

O ex-ministro do Esporte e candidato a vereador Orlando Silva (PCdoB) não conseguiu se eleger à Câmara Municipal de São Paulo neste domingo (7). Na apuração das urnas, o candidato apareceu em 82º lugar, com 19.739 votos, o equivalente a 0,35% da preferência do eleitorado paulistano.

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Leia também:  Haddad faz defesa do PT e diz que projeto nacional depende de vitória

Apesar de usar em sua propaganda o fato de ser ex-ministro de Lula e da presidenta Dilma Rousseff (PT), o resultado da eleição refletiu a crise sofrida por Silva no ano passado no ministério, que o levou a renunciar ao mandato.

Em 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) deu aval à abertura de um inquérito para investigar Orlando Silva, a pedido da Procuradoria Geral da República, após denúncias de que ele teria comandado um suposto esquema de desvios de verbas.

O policial militar João Dias afirmou, em entrevista à revista Veja, que o próprio Orlando Silva teria recebido propina de ONGs dentro da garagem do Ministério do Esporte, em troca do repasse de verbas de um programa no ministério, o que Silva sempre negou. Orlando Silva foi um dos ministros de Dilma herdados da administração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva .

Na composição da Câmara de São Paulo, a coligaçao PSDB-PSD-PR-DEM ficou com 21 cadeiras, enquanto a chapa PT-PCdoB-PSB-PP, 15.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG