Em Fortaleza, candidatos apoiados por Cid e Luizianne polarizam disputa

Roberto Cláudio (PSB) e Elmano de Freitas (PT) começaram entre os últimos e chegam às urnas empatados na liderança; sem apoio, Moroni Torgan (DEM) despencou

Daniel Aderaldo - iG Ceará |

Sem apoio de um padrilho ilustre, a candidatura de Moroni Torgan (DEM) à Prefeitura de Fortaleza perdeu fôlego ao longo da campanha e os candidatos apoiados pelo governador Cid Gomes (PSB) e pela prefeita Luizianne Lins (PT) chegam às urnas para o primeiro turno, neste domingo (7), polarizando a disputa eleitoral na capital cearense.

Leia mais: Rompido com PT em Fortaleza, candidato do PSB quer aliança por Dilma

Datafolha: Roberto Cláudio e Elamano de Freitas estão empatados

Roberto Cláudio (PSB) e Elmano de Freitas (PT) começaram a campanha na capital cearense entre os últimos nas pesquisas, mas com o apoio dos padrinhos políticos, orçamentos generosos e maior tempo na televisão e no rádio, cresceram e chegam à reta final na liderança, tecnicamente empatados.

Leia também: Debate faz candidatos se unirem contra nomes de Cid e Luizianne

Divulgação
O candidato do PSB, Roberto Cláudio, contou com apoio de Cid Gomes; em julho,os dois comandaram um “adesivaço”

Apoiador do PT em Fortaleza nos últimos oito anos, o PSB rompeu com o partido e oficializou a candidatura do presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Roberto Cláudio, após o ex-secretário de Educação de Fortaleza Elmano de Freitas ser escolhido pela executiva municipal do PT para disputar a sucessão, com apoio de Luizianne.

Saiba mais: Candidato do PT critica Cid e culpa Ciro por rompimento de aliança

Embora Cid Gomes tenha declarado publicamente diversas vezes a disposição de manter a aliança, puxados por seu irmão mais velho, o ex-ministro Ciro Gomes, os socialistas decidiram lançar candidatura própria, alegando que o nome apresentado pelos petistas foi, na realidade, imposto pela prefeita.

Ao longo da campanha, os dois candidatos dos partidos recém-separados evitaram embates agressivos e a estratégia conduziu os dois rumo ao segundo turno.

Especial iG: Leia todas as notícias sobre a eleição em Fortaleza

Divulgação
Apoiado pela prefeita Luizianne Lins, o petista Elmano de Freitas chega empatado com Roberto Cláudio à eleição

Na largada da corrida eleitoral, em julho, o candidato socialista tinha apenas 5% da preferência do eleitorado. Após o início do horário eleitoral, a candidatura apoiada pelos irmãos Gomes disparou e, em agosto, já aparecia virtualmente no segundo turno. 

Com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedindo voto no rádio e na televisão, a trajetória do petista foi semelhante à do principal adversário. Elmano partiu com 3%. Acompanhou o crescimento do socialista nos meses de agosto e de setembro e, na última semana de campanha, superava 20%.

Disputando a Prefeitura de Fortaleza pela quarta vez consecutiva, sem coligação e com tempo reduzido na televisão e no rádio, Moroni Torgan começou a campanha com 18 pontos percentuais de vantagem para o segundo colocado, segundo pesquisa Ibope.

Conhecido pelo tom enérgico, adotou postura mais serena e evitou pôr fogo nos debates, como costumava fazer. A tática não surtiu efeito e Torgan despencou. Diante do fracasso, na reta final, resolveu pôr em cheque a capacidade dos candidatos das máquinas municipal e estadual de resolver os problemas na cidade. 

A derrocada de Inácio Arruda (PCdoB) foi ainda mais acentuada. De agosto a outubro, o senador comunista perdeu 10 pontos percentuais, segundo Ibope. De 13% que tinha no início da campanha, chegou a 2% na reta final da corrida.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG