Eleição em Campo Grande deve ir ao 2º turno pela primeira vez em 16 anos

Alcides Bernal (PP) e Edison Giroto (PMDB) lideram as pesquisas de opinião e devem disputar o cargo no dia 28 de outubro

iG Brasília |

A escolha do prefeito de Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, deve ficar para o dia 28 de outubro, quando será realizado o segundo turno das eleições municipais de 2012. O pleito não era definido em uma segunda rodada há 16 anos.

Longe da unanimidade obtida pelo atual prefeito, Nelson Trad Filho, eleito e reeleito em primeiro turnos nas eleições de 2004 e 2008, o candidato de seu partido, o PMDB, oscilou na liderança da disputa à prefeitura durante a campanha e, agora, está atrás nas pesquisas.

Acompanhe a cobertura completa das eleições 2012

Leia mais: Campo Grande é a única cidade de Mato Grosso do Sul que pode ter 2º turno

A divisão dos eleitores da capital de Mato Grosso do Sul se concentra entre o candidato do PMDB, Edson Giroto, e Alcides Bernal, do PP. As pesquisas eleitorais – tema polêmico durante as eleições em Campo Grande, por causa de disputas judiciais, que levaram a suspender a divulgação de muitas sondagens por suspeita de falhas no processo – mostram os dois candidatos oscilando no topo da disputa.

Divulgação/Facebook
O candidato à Prefeitura de Mato Grosso, Edson Giroto (PMDB)

Segundo a última pesquisa Ibope, divulgada no sábado, véspera da votação, Bernal aparecia na liderança com 44% dos votos válidos, seguido de Giroto com 31%. Os votos válidos excluem os brancos e nulos e os indecidos. Em 18 de setembro, no entanto, a TV Morena divulgou pesquisa encomendada ao Ibope que mostrava Giroto na liderança, com 38% das intenções de voto e Bernal, com 30%.

Por isso, os nomes do segundo turno parecem imutáveis a essa altura. No Ibope, Reinaldo Azambuja, do PSDB, ganhou mais espaço de julho para cá, e chegou a 16% dos votos válidos. Vander Loubet, do PT, estava no terceiro lugar nas primeiras sondagens, agora aparece com 6% das intenções de votos. Suél Ferranti, do PSTU, tem 1%, Sidney Melo, do PSOL, não pontuou, e Marcelo Bluma, do PV, 2%.

A última sondagem encomendada pela TV Morena, de 18 de setembro, também não mostra grandes diferenças em relação aos candidatos menos apreciados pelos eleitores. Azambuja aparecia com 11% das intenções de voto, Loubet com 6%, Marcelo Bluma e Sidney Melo com 1%. Suél Ferranti sem votos.

Disputas judiciais

As eleições municipais para prefeito em Campo Grande foram marcadas por disputas fora das urnas. A Justiça Eleitoral foi bastante acionada pelos próprios candidatos, que questionaram, ao longo do processo, diferentes pesquisas de intenções de votos.

Outra polêmica judicial envolvendo as eleições levou o diretor do Google no Brasil, Fábio Coelho, a ser preso pela Polícia Federal por desobediência à ordem judicial. O diretor não retirou do Youtube vídeos postados no site que criticavam o candidato Alcides Bernal. A empresa alegou que a responsabilidade pelo teor do vídeo é dos usuários. Coelho foi liberado no mesmo dia e o conteúdo, bloqueado.

A dúvida agora é sobre as alianças que os candidatos que passarem para o segundo turno farão. No início da campanha, os candidatos Azambuja, Bernal e Loubet prometeram se unir, independentemente de quem fosse para o segundo turno, contra Giroto. Antigos aliados, hoje, são rivais do candidato governista.

Segurança

De acordo com o governo do Estado, pelo menos 7,5 mil policiais serão convocados para garantir a segurança das eleições municipais no Mato Grosso do Sul. O reforço será feito em cidades de fronteira, como Coronel Sapucaia e Ponta Porã.

Cerca de 1,7 milhão de pessoas vão às urnas em todo o Estado neste domingo. Em Campo Grande, mais de 56º mil estão aptos a votar.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG