Candidato do PT pode ser reeleito no primeiro turno em Goiânia

Pesquisa mostra que atual prefeito lidera a preferência dos eleitores; campanha na capital de Goiás foi marcada pelo 'efeito Carlinhos Cachoeira'

iG Brasília |

O atual prefeito de Goiânia, Paulo Garcia , pode ser reeleito já no primeiro turno das eleições municipais. As últimas pesquisas mostram que o candidato do PT à prefeitura da capital de Goiás lidera com folga a disputa pelo cargo. A diferença para o segundo colocado, Jovair Arantes (PTB), segundo os levantamentos, supera os 30 pontos percentuais.

De acordo com a última pesquisa feita pelo Ibope, divulgada neste sábado, Paulo Garcia possui 54% dos votos válidos, enquanto Jovair, 17%. Seguem Elias Júnior (PMN), com 11%, Isaura Lemos (PCdoB) e Simeyzon (PSC), ambos com 7%. Pataleão (PSOL) tem 3% e José Netho (PPL), 1%.

Especial:  Acompanhe a cobertura completa das eleições 2012

Divulgação/Facebook
O candidato petista à Prefeitura de Goiânia, Paulo Garcia, tem 46% da preferência do eleitorado

A popularidade do prefeito cresceu aos poucos durante a campanha eleitoral. Nas primeiras sondagens, Garcia – que assumiu a prefeitura em 2010, após a renúncia do então prefeito Iris Rezende, que disputou o cargo de governador e perdeu para Marconi Perillo (PSDB) – tinha pouco mais de 30% dos votos. Mas a distância entre os candidatos foi mantida ao longo de todo o processo.

A expectativa em torno da campanha eleitoral em Goiânia era de que assuntos polêmicos como o mensalão e a Operação Monte Carlo, que prendeu o bicheiro Carlinhos Cachoeira , fossem bastante utilizados durante a campanha entre os adversários políticos.

A relação de Delúbio Soares (ex-tesoureiro do PT que está sendo julgado pelo Supremo Tribunal Federal por envolvimento com o mensalão) com o prefeito, que é do mesmo partido, foi explorada pelos adversários no início da campanha. Para evitar desgastes, Delúbio desapareceu dos eventos políticos do candidato do PT.

Por outro lado, a prisão de Carlinhos Cachoeira respingou em vários candidatos, que teriam alguma ligação com o contraventor. O prefeito precisou suspender contratos da Prefeitura da cidade com a Delta Construções, empresa acusada de irregularidades para transferir dinheiro público para os negócios de Cachoeira, e suspender servidores para se manter longe das críticas. Jovair foi pego em escutas telefônicas pedindo favores ao bicheiro.

Antes mesmo do início da disputa, outros pré-candidatos foram afastados do pleito por conta das ligações políticas e empresariais com Cachoeira, reveladas pela Polícia Federal. O escolhido do atual governador do estado de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), Leonardo Vilela, foi um deles. Sandes Junior, candidato do PP, também se afastou da corrida pela prefeitura.

Com isso, figuras tradicionalmente importantes nos processos eleitorais do Estado sumiram da campanha. Demóstenes Torres, senador cassado por ter sido pego em escutas telefônicas com o bicheiro, o próprio governador Perillo, que também foi envolvido no suposto esquema de favorecimento dos jogos de azar em Goiás, e Delúbio ficaram escondidas para evitar polêmicas.

Novos alvos

Divulgação
O candidato à Prefeitura de Goiânia, Jovair Arantes (PTB)

Os adversários de Garcia acreditam que a insatisfação da população goiana com a administração do petista Paulo Garcia é maior do que a medida pelas pesquisas. Isaura Lemos (PC do B ), que aparece em quarto lugar nas sondagens, junto com Jovair e Elias Júnior têm criticado as pesquisas, levantando suspeitas sobre a confiabilidade das mesmas.

Em Goiânia, os eleitores votarão já com a identificação de suas digitais nas urnas biométricas. Com isso, acredita-se que o tempo de votação será bem rápido. Mais de 850 mil eleitores goianos foram recadastrados para utilizar o sistema e estão com situação regularizada.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG