Caciques perdem espaço na eleição pela Prefeitura de Palmas

Milionário colombiano Carlos Amastha lidera a corrida municipal, deixando para trás candidatos apadrinhados por políticos tradicionais na cidade

Nivaldo Souza - iG Brasília |

A eleição deste domingo em Palmas promete mostrar uma perda de espaço dos caciques que tradicionalmente dominam a cena na política da capital do Tocantins. Candidato de primeira viagem, o empresário colombiano do ramo de shoppings centers Carlos Amastha (PP) assumiu a dianteira da corrida com 48% dos votos válidos, deixando no segundo lugar Marcelo Lelis (PV), com 44%. A candidata do PR, Luana Ribeiro, aparece na terceira posição, com 6%, segundo a última pesquisa Ibope, divulgada na capital.

Especial: Confira a cobertura completa do iG sobre as eleições 

Cola Eleitoral: Escolha seus candidatos e imprima os números para conferir na hora de votar

Divulgação
O candidato à Prefeitura de Palmas, Carlos Amastha (PP), faz campanha pelo centro da cidade.

Apesar da liderança, Asmatha e Lelis estão tecnicamente empatados, uma vez que a margem de erro da pesquisa é de quatro pontos percentuais. A eleição não terá segundo turno em Palmas, já que a cidade tem menos de 200 mil eleitores.

Candidato de primeira viagem, Amastha nasceu em Barranquilla, norte da Colômbia. É empresário do ramo de shopping center – o que o torna o quarto candidato à prefeitura mais rico em âmbito nacional no pleito de 2012, com fortuna de R$ 18 milhões. Tem 51 anos e vive no Brasil há 30, 12 deles em Palmas. O colombiano saltou de 1% na primeira pesquisa de intenção de votos para a liderança da corrida.

Lelis, por sua vez, é indicado do governador Siqueira Campos (PSDB). Ex-vereador e atualmente deputado estadual, o candidato do PV aparecia como favorito no começo da disputa. O candidato do PP bateu também Luciana, candidata do atual prefeito, Raul Filho (PT), flagrado em vídeo com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Formada em turismo e deputada estadual no segundo mandato, ela conta também com o apoio do pai, senador João Ribeiro (PR).

Caso o eleitor confirme as pesquisas eleitorais, Amastha pode se tornar o primeiro estrangeiro eleito para administrar uma capital brasileira. O quadro pode ser o primeiro a ser definido na eleição deste domingo. Isso porque o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) promete apresentar o resultado das urnas até às 20 horas. O baixo número de eleitores, pouco mais de 160 mil, facilitará a transmissão dos dados da votação. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG