Último debate no Rio tem bate-boca e ataques a Eduardo Paes

Freixo e Maia fazem acusações ao candidato à reeleição e prefeito reage com irritação e ironias

Raphael Gomide - iG Rio de Janeiro |

O último debate no Rio antes das eleições de domingo, na TV Globo, foi marcado por um tom agressivo entre os concorrentes e por ataques ao prefeito e candidato à reeleição, Eduardo Paes.

Com 57% das intenções de voto, de acordo com o DataFolha e o Ibope, Eduardo Paes foi alvo de acusações de Marcelo Freixo (PSOL, 20% no DataFolha) e de Rodrigo Maia (DEM, 2%), principalmente sobre a suposta compra de apoio do PTN por R$ 1 milhão pelo PMDB e pelo sistema de transportes deficiente.

Datafolha:  Eduardo Paes mantém liderança mesmo após suposta compra de apoio

O Dia
Eduardo Paes e Marcelo Freixo se cumprimentam no debate


Visivelmente irritado e incomodado, Paes chamou as afirmações de "baixarias", "agressivas" e "ataques do trio Maia-Garotinho-Freixo".

O formato do debate, com perguntas de candidatos aos rivais já no primeiro bloco, permitiu que já começasse quente, com os dois líderes de intenções de voto se confrontando.

Em tom ríspido, Freixo atacou Eduardo Paes, fazendo a primeira pergunta sobre o que vem chamando de "Mensalão Carioca".

"Isso é denuncismo da última semana de campanha. É uma não-denúncia", minimizou Paes, em tom irônico. Ele chamou de "boquirroto" Jorge Esch, presidente do PTN no Estado, que afirmou ter feito acordo de R$ 1 milhão para apoiar o prefeito.

O candidato à reeleição ironizou em diversos momentos os rivais, o que levou Rodrigo Maia a uma reação Irritada na entrevista ao fim.

Leia também: Prefeita de S. João da Barra acusada de chefiar esquema de compra de candidatos

"Eduardo trata com desrespeito e galhofa os adversários. Vira homem! Assume a posição de prefeito do Rio."

Em segundo lugar, Freixo teve como maior mote, além dos ataques a Paes, o pedido de segundo turno aos eleitores, como forma de provocar mais debate na cidade.

Os maiores bate-bocas, porém, foram entre Rodrigo Maia e Paes.

"Pelo amor de Deus, quanta baixaria a essa hora da noite! Rodrigo Mais vai ganhar o primeiro turno, mas em rejeição. É inacreditável tanta agressividade e grosseria. A ajuda que demos ao PTN foi a mesma que demos para todos os partidos. Vejam que agressividade, que conflito... Tem de parar com essa história e esse tipo de agressividade", reclamou Paes.

"Se alguém analisar como Eduardo responde a essa pergunta, vê como ele fica descontrolado", contestou Maia.

O Dia
Candidatos posam no estúdio onde aconteceu o último debate


Em outro momento, o deputado federal procurou associar Paes ao seu antigo líder e hoje desafeto, Cesar Maia.

"Olha como vc é ingrato. Você foi secretário de meio ambiente do Cesar Maia, você participou dessa política. De quatro eleições,você o apoiou em três", disse Maia.

Paes respondeu com ironia. "Como isso aqui não é psicoterapia de grupo, não vou fazer análise do deputado Rodrigo Maia."

Maia e Freixo também atacaram a licitação de ônibus da prefeitura do Rio, descrita como "cartel".

"É lamentável o nível de subserviência às empresas de ônibus", afirmou Freixo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG