'A dor me impede de falar', diz ministro sobre condenações a núcleo do PT

Gilberto Carvalho afirmou estar 'muito sofrido'; dos quatro ministros que votaram até agora no julgamento do mensalão, três condenaram Dirceu e Genoino, e quatro, Delúbio

Reuters |

Reuters

O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, disse nesta sexta-feira sentir "dor" com o placar desfavorável a antigas lideranças do PT no julgamento do chamado mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF).

Julgamento:  Três ministros do STF condenam Dirceu e Genoino por corrupção

Advogados: Revisor está isolado na absolvição de núcleo do PT

Leia mais: Lewandowski absolve Dirceu e diz que 'não há prova' contra o réu

Três dos quatro ministros que já votaram condenaram o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente do PT José Genoino por corrupção ativa. O ex-tesoureiro Delúbio Soares obteve quatro votos pela condenação. O julgamento, que começou em agosto, concentra-se agora no chamado núcleo político do PT no esquema envolvendo compra de apoio parlamentar ao governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Calendário: Confira o que já aconteceu e o que está por vir no julgamento do mensalão

Questionado sobre os três votos contrários a Dirceu e a Genoino, Carvalho inicialmente recusou-se a comentar, mas depois disse: "A dor me impede de falar dessa questão." O ministro foi abordado por jornalistas em abertura de uma exposição de obras do pintor italiano Caravaggio.

Mais uma vez questionado por jornalistas, o ministro disse estar "muito sofrido".

Mensalão: Revisor absolve José Genoino em acusação de corrupção ativa

Leia também: Relator condena cúpula do PT e diz que Dirceu comandou compra de voto

Dirceu foi acusado pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, de ser o mentor e líder do "grupo criminoso" responsável pelo esquema. A defesa do ex-ministro nega e alega não haver provas. O ex-chefe da Casa Civil, que deixou o ministério atingido pelas denúncias, também teve seu mandato de deputado federal cassado por conta do escândalo.

"Aquela coisa do outro lado da rua dói muito", afirmou, referindo-se ao prédio do Supremo Tribunal Federal (STF). Denunciado em 2005, o chamado mensalão foi a pior crise política dos oito anos de mandato de Lula.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG