Lewandowski dá seu voto com ajuda de geradores após apagão em Brasília

STF aciona sistema alternativo de energia após falha em subestações de Furnas deixar a maior parte da capital federal às escuras no meio da tarde

Nivaldo Souza e Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

Para não interromper a leitura do voto do ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo de mensalão , o Supremo Tribunal Federal (STF) acionou dois de seus três geradores para manter as luzes acesas. O tribunal foi um dos atingidos por um apagão que afetou 80% de Brasília na tarde desta quinta-feira (4), de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A estimativa é de que 70% do Distrito Federal tenham ficado às escuras.

Leia mais:  Ricardo Lewandowski alega falta de provas e absolve José Dirceu 

Leia também: Elétricas investem apenas 35% do previsto para transmissão em 2012

O apagão afetou o metrô da capital federal, obrigando os passageiros a descerem dos trens para caminhar nos trilhos. Semáforos e prédios ficaram sem energia por volta das 13h20. Algumas partes da cidade seguem sem energia, segundo a Aneel, incluindo o STF.

A falha no sistema de distribuição da Companhia Energética de Brasília (CEB) ocorreu após problema em três subestações de Furnas na região sul da cidade, onde a malha da estatal se liga à da empresa que atende a capital.

O Palácio do Planalto, local de trabalho da presidenta Dilma Rousseff, e o Congresso Nacional também precisaram acionar seus geradores para manter o sistema elétrico funcionando.

O Operador Nacional do Sistema (ONS) ainda não se pronunciou oficialmente sobre o apagão. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, se reúne esta tarde com o Comitê Nacional do Setor Elétrico (CMSE) para avaliar as causas do blackout ocorrido ontem nas regiões Centro-Oeste, Sul, Sudeste e Norte , causado por uma pane em um transformador de Furnas. Segundo a assessoria do ministro, o comitê não irá se pronunciar sobre a falha em Brasília.

Furnas investiu até julho apenas R$ 64,8 milhões do orçamento autorizado pelo governo para manutenção do sistema de transmissão de energia das regiões Centro-Oeste e Sudeste, cuja previsão orçamentária destina R$ 432,5 milhões em 2012 - conforme mostrou o iG .

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG