Decisão da Rede Globo foi motivada pela presença obrigatória de 'nanicos' na bancada do programa

O candidato líder na disputa pela prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno , respirou aliviado com a decisão da Rede Globo de cancelar o seu debate entre os candidatos da capital.

Em nota, a emissora explicou que seis é o número máximo de participantes para a realização de um debate “produtivo”. Mas não houve acordo com os nanicos que contam com representantes no Congresso Nacional e, por isso, têm o direito de participar do programa. Se o debate fosse mantido, Celso Russomanno seria o principal alvo dos adversários em uma atração com audiência digna de horário nobre.

Eleições: TV Globo desiste de realizar debate entre candidatos de São Paulo

São Paulo: Record cancela debate e vira tema de troca de ataques entre candidatos

Líder, Russomanno foi beneficiado pelo cancelamento dos debates às vésperas da eleição
Divulgação
Líder, Russomanno foi beneficiado pelo cancelamento dos debates às vésperas da eleição

“Se ele fosse, iriam culpá-lo até pelas enchentes da cidade ou pela violência urbana. O Celso apanharia do Serra, do Haddad e de seus auxiliares, que são o Chalita e a Soninha”, dispara o deputado estadual Campos Machado, presidente do PTB e coordenador político da campanha de Russomanno. O presidente nacional do PRB, deputado Marcos Pereira, coloca a culpa pelo cancelamento na emissora, mas reconhece. “Se o Celso fosse, ele seria o alvo principal”.

A palavra de ordem no QG de Russomanno na reta final da campanha é “desacelerar”. Alvo de todos, o candidato optou por submergir e economizar material para o segundo turno. O Brasil Econômico apurou que dos demais candidatos, o único que considerou estrategicamente ruim o cancelamento foi Gabriel Chalita (PMDB). Ele vislumbrava que o espaço na TV Globo serviria para vender a imagem de único com chance de derrotar Russomanno no segundo turno. Tucanos e petistas ouvidos pela reportagem avaliam que Russomanno foi o principal beneficiado pela decisão da Rede Globo.

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Mas como a presença dele no segundo turno é considerada fato consumado, PT e PSDB avaliam que nenhum dos dois ganharia com ataques mútuos. “Quem mais perde com o cancelamento do debate é o Haddad, que tenta nos ultrapassar. Nós não saímos prejudicados com a decisão da Globo”, diz um alto estrategista de José Serra. “Das últimas três pesquisas, o Haddad está na frente em duas. O cancelamento não é de todo ruim”, rebate um assessor do petista.

Esse foi o segundo debate na TV cancelado em São Paulo. Na semana passada, a Record desistiu da atração e culpou José Serra . O tucano rebateu e entrou em um bate-boca com a emissora, que foi acusada de favorecer Celso Russomanno.

Leia mais notícias sobre política, economia e negócios no Brasil Econômico .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.