Justiça proíbe DEM de mencionar mensalão em Salvador

Programa eleitoral do DEM usava narração que dizia que propaganda era homenagem ao ministro Joaquim Barbosa, relator do julgamento do mensalão no STF

iG São Paulo |


Raul Spinass/Agência A Tarde/AE
Campanha de ACM Neto dizia que programa eleitoral era homenagem a ministro Joaquim Barbosa

Os programas da coligação proporcional liderada pelo DEM em Salvador estão proibidos de mencionar ou fazer referência ao julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia também:  Juiz veta vídeo usado pelo PT em que ACM Neto ameaça Lula

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

A decisão, tomada no fim de semana pelo juiz Eduardo Afonso Maia Caricchio, da 12ª Zona Eleitoral, acolheu pedido da coordenação jurídica da campanha do candidato petista à prefeitura, Nelson Pelegrino , e ainda determinou direito de resposta de seis minutos à coligação capitaneada pelo PT.

Leia todas as notícias das eleições na Bahia

Desde que o PT passou a usar, em sua propaganda eleitoral, o vídeo do candidato do DEM a prefeito, ACM Neto , prometendo "dar uma surra" no então presidente Luiz Inácio Lula da Silva , em um discurso no plenário da Câmara, em 2005, o DEM começou a citar o mensalão em seus programas, tanto nas propagandas para a eleição majoritária, quanto nas dos candidatos a vereador.

Estas últimas eram encerradas com uma narração que dizia que o programa era uma homenagem ao ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão, que tem votado pela condenação da maioria dos réus.

Com Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG