PRB reage a ataques e calibra discurso contra Haddad na reta final da campanha

Líder nas intenções de voto, mas em queda de acordo com o último Datafolha, Russomanno intensificará críticas a adversários, mas com cuidado para não perder apoio no 2º turno

Agência Estado |

Agência Estado

A campanha do líder nas pesquisas de intenção de voto, Celso Russomanno (PRB), pretende blindar o candidato na reta final do 1º turno, calibrando os ataques a Fernando Haddad (PT), que continuará como alvo principal. Em novas inserções no rádio e na TV, a propaganda falará em "mentiras" e "baixarias" contra Russomanno e o colocará como vítima dos adversários.

Leia mais: Serra diz que Haddad foi 'medíocre' como ministro

Leia também: Renascer, igreja do casal Hernandes, dá apoio a Russomanno

O marketing de Russomanno chegou a produzir um vídeo no qual havia ataques diretos a Haddad, mas o comando da campanha barrou o filme. Nele, um locutor dizia: "Conte comigo as mentiras do PT. Haddad se diz novo, mas ajudou a criar a taxa do lixo e a aumentar a dívida de São Paulo". O locutor citava como "mentiras do PT" questionamentos sobre inexperiência do candidato. "Cá entre nós, é isso que queremos para São Paulo?"

Saiba mais: Reta final da campanha leva Lula a Osasco e Guarulhos

A orientação, no entanto, é evitar o uso do nome do petista nas inserções mais críticas, assim como fazer ataques diretos ao PT, potencial aliado num segundo turno, caso Haddad não passe para a nova etapa da eleição. O PRB é da base governista e tem boa relação com a presidenta Dilma Rousseff . Nas últimas semanas, líderes do partido se encontraram com caciques petistas para discutir o tom da campanha em São Paulo.

Especial iG: Leia todas as notícias sobre as eleições municipais de 2012

O desafio da última semana é calibrar o discurso crítico que dificulte o crescimento de Haddad, sem tornar inviável a construção das pontes com o PT. O comando da campanha diz preferir José Serra (PSDB) como adversário num segundo turno. Primeiro, porque o tucano tem rejeição mais alta que Haddad. Depois, por avaliar que, contra o PSDB, teriam o apoio de PT, PMDB e PC do B.

Em novas inserções, a campanha de Russomanno rebaterá as críticas de inexperiência comparando a trajetória dele com a de Lula. Também insistirá na tese de que os adversários "mentem": "Sabe o que acontece quando os adversários agridem Celso Russomanno? Eles mentem, Celso cresce. Eles mentem, Celso trabalha. Eles mentem, Celso defende você. Não adianta apelar, o povo já cansou dessa baixaria".

"Vamos nos posicionar em relação às críticas que estamos recebendo, até porque o eleitor do Celso está cobrando isso dele", disse o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira.

O comitê sentiu os ataques do PT na semana passada, quando Haddad criticou propostas do candidato. No último Datafolha, Russomanno caiu pela primeira vez: cinco pontos porcentuais. Agora, lidera com 30% de intenções de voto.

A campanha também não decidiu se o candidato irá ao debate da TV Globo no dia 4. A emissora discute na Justiça se pode fazer o encontro com número menor de candidatos. Para a campanha, o ideal é que o debate não ocorra. Blindado, Russomanno evitaria riscos da exposição, sem arcar com o ônus de faltar ao evento. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG