'É o velho jeito de fazer política', diz programa de Russomanno sobre ataques

Candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, que caiu cinco pontos na última pesquisa do Datafolha, cobra respeito dos adversários e repete que não baixará o nível da campanha

Agência Estado |

Agência Estado

Líder nas pesquisas de intenção de voto, o candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno , atribuiu na sexta-feira (28) os ataques contra ele nas últimas semanas ao "desespero" de seus adversários. "É o velho jeito de fazer política", criticou o apresentador do programa de Russomanno durante a exibição do horário eleitoral gratuito na TV.

Leia mais: Mensagem de celular liga Russomanno à Igreja Universal e Edir Macedo

Leia também: Russomanno cai cinco pontos, Serra tem 22%, e Haddad, 18%, diz pesquisa

O programa do PRB ainda mostrou eleitores defendendo sua proposta de cobrança proporcional da tarifa de ônibus, uma das mais criticadas pelo candidato do PT, Fernando Haddad . "Celso achou um jeito de você pagar menos", ressaltou o narrador. Em seguida, usuários de ônibus apareceram defendendo o projeto.

Imagens: Em caminhada, eleitora se anima e beija Serra na boca; veja

Especial iG: Leia todas as notícias sobre as eleições em São Paulo

Ao pedir respeito dos adversários na reta final da campanha, Russomanno afirmou que não precisa se defender dos ataques dos rivais. Nos últimos dias, o candidato do PRB vem sendo acusado de não ter um plano de governo para a cidade. "O povo já sabe: o papel aceita qualquer coisa", disse o narrador. Confiante na vitória, o candidato declarou que vai escolher um secretariado "digno de ministério". "Não vou decepcionar aqueles que esperam um bom governo", garantiu Russomanno.

O ex-governador José Serra (PSDB) reapresentou propostas exibidas em programas anteriores e, no final, destacou os números da nova pesquisa Datafolha, onde aparece com 22% das intenções de voto, contra 30% de Russomanno e 18% de Haddad. "Serra é o único capaz de evitar que São Paulo caia numa aventura", afirmou o narrador da propaganda tucana. Haddad e Gabriel Chalita (PMDB) reexibiram os programas eleitorais veiculados na última quarta-feira (26).

Soninha Francine (PPS) defendeu em seu programa políticas de acessibilidade para deficientes e idosos. O candidato do PSOL, Carlos Giannazi, acusou seus adversários de fazer "propaganda enganosa" sobre temas relacionados à educação. José Maria Eymael (PSDC) convidou os eleitores a conhecer seu programa de governo na internet e disse que, se eleito, fará "o que tiver de ser feito" pela cidade. Os candidatos Paulo Pereira da Silva (PDT) e Levy Fidelix (PRTB) repetiram programas exibidos anteriormente.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG