Ministros retomam hoje votação sobre 6º item da denúncia do mensalão

Após votos de relator e revisor do julgamento, oito ministros começam hoje votos sobre corrupção passiva e lavagem de dinheiro de deputados da base aliada do governo

iG São Paulo | - Atualizada às

O Supremo Tribunal Federal retoma nesta quinta-feira (27) o julgamento do sexto item da denúncia do mensalão , após os votos dos ministros relator, Joaquim Barbosa, e revisor, Ricardo Lewandowski. O item, que trata do chamado "núcleo político" do esquema, envolve as acusações de corrupção passiva e ativa, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Ivaldo Cavalcante/Hoje em Dia/AE
Os ministros do STF prosseguem nesta quinta-feira com o julgamento do chamado "núcleo político" do mensalão

Hoje leem seus votos Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Marco Aurélio Mello, Gilmar Mendes, Celso de Mello e o presidente do STF, ministro Carlos Ayres Britto. Se a corte decidir seguir o mesmo método da sessão do dia 13, quando os oito ministros votaram sem nenhum intervalo o item 4 da denúncia, o julgamento dos crimes de réus ligados aos partidos PP, PL (atual PR), PTB e PMDB pode ser encerrado ainda hoje.. A expectativa é que a votação do chamado "núcleo do PT" comece na próxima semana .

Leia também:  revisor condena Jefferson e ex-deputados de PTB e PMDB por corrupção

Saiba mais: Barbosa e Lewandowski voltam a bater boca em julgamento do mensalão

Antes dos ministros iniciarem seus votos, o relator Joaquim Barbosa deve fazer uma exposição de  "apenas 10 ministos" para tratar de suas divergências em relação ao voto de Lewandowski, conforme pedido ontem ao final da sessão.

Na sessão desta quarta, concluiu seu voto e condenou o presidente nacional do PTB e delator do esquema, Roberto Jefferson, por corrupção passiva. O ex-deputado federal foi absolvido do crime de lavagem de dinheiro. Outro réu ligado ao PTB, o ex-deputado Romeu Queiroz, também foi condenado por corrupção passiva e absolvido por lavagem. Lewandowski ainda absolveu Emerson Palmieri, ex-secretário do partido, de todas as acusações (corrupção passiva e lavagem).

Ainda na sessão desta quarta, o ministro revisor condenou o ex-deputado do PMDB José Borba pelo crime de corrupção passiva e o absolveu da acusação de lavagem de dinheiro. Ao final de seu voto sobre este item da denúncia, Lewandowski condenou nove réus e absolveu quatro - o relator Joaquim Barbosa havia condenado 12 e absolvido apenas um

Bate-boca

A sessão da quarta-feira foi marcada por desentendimentos entre Barbosa e Lewandowski . Além de discutirem a respeito das acusações de lavagem de dinheiro aos réus e também sobre o rito do julgamento, os ministros, já na parte final da sessão, travaram um duro embate acerca do réu Emerson Palmieri. Barbosa o condenou por corrupção passiva e lavagem, enquanto Lewandowski o absolveu das duas imputações.

Desta vez, o motivo da discordância foi uma viagem feita por Emerson Palmieri a Portugal, ao lado de Marcos Valério, apontado como o financiador do mensalão, e Rogério Tolentino. Para Lewandowski, a viagem por si só não significa que os três tenham se reunido em torno de uma prática criminosa. Barbosa discordou

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG