PT espera Dilma no palanque de Haddad

Diante da possibilidade de derrotas na maioria das principais cidades brasileiras, a vitória do petista passou a ser vista como fundamental para salvar o desempenho do partido

Ricardo Galhardo - iG São Paulo |

O PT e o comando da campanha de Fernando Haddad (PT) à Prefeitura de São Paulo esperam a presença da presidenta Dilma Rousseff em comício do candidato no próximo fim de semana.

Assessores de Dilma confirmam o convite, mas dizem que a presidenta só vai tomar uma decisão a partir de quinta-feira, quando volta de uma viagem aos EUA. A presidenta também é esperada no palanque de Patrus Ananias em Belo Horizonte, sua cidade natal.

Datafolha:  Serra abre vantagem sobre Haddad e Russomanno segue na liderança

Saiba mais: Confira o especial do iG sobre a corrida eleitoral de 2012

Caso seja confirmada, a presença de Dilma no palanque de Haddad será a primeira participação direta da presidenta nas eleições municipais deste ano. Dilma, que no início da campanha disse que se manteria afastada das disputas para evitar atritos na base do governo, se restringiu até agora a gravar participações nos programas de TV de alguns candidatos.

Leia também: Agenda de Lula provoca ciúmes e disputa entre PT e aliados no Recife

Eleição em São Paulo: Dilma estreia em programa de Haddad

A possível presença de Dilma no palanque de Haddad faz parte da estratégia agressiva planejada pelo PT para a reta final da campanha em São Paulo. A capital paulista sempre foi prioridade para o partido, mas diante da possibilidade de derrotas na maioria das principais cidades brasileiras a vitória de Haddad passou a ser vista como fundamental para salvar o desempenho do partido nas eleições municipais deste ano. Por isso, o partido vai usar todos recursos disponíveis para levar ao segundo turno o candidato que hoje ocupa a terceira colocação nas pesquisas.

Leia mais: PT já traça cenário de 2º turno sem Serra e cogita buscar apoio do PSDB

Além da presença de Dilma no palanque, o comando da campanha de Haddad decidiu fazer mudanças no programa de TV (que deve ficar mais agressivo e emocional) e intensificar a campanha de rua, principalmente nas regiões onde Celso Russomanno (PRB) tem mais intenções de voto.

No próximo final de semana, Haddad participará de um ato com alunos do ProUni ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e fará comícios em São Miguel e São Mateus, ambos na Zona Leste.

A escolha dos locais não é gratuita. Segundo o Datafolha , Russomanno tem 46% das intenções de voto na região que até a última eleição era um dos principais redutos do PT na capital paulista.

Além de Dilma e Lula, o vereador Netinho de Paula (PC do B) e a ministra da Cultura, Marta Suplicy, que tem grande popularidade na zona leste, também foi escalada.

Saiba mais: PT faz 'manual' sobre como barrar uso da imagem de Dilma e Lula 

Embora seja consenso no PT de que o adversário direto é José Serra (PSDB), que ocupa o segundo lugar nas pesquisas, o objetivo da campanha é reconquistar os votos dos petistas que se declaram eleitores de Russomanno.

Segundo o PT, 27% dos eleitores de São Paulo dizem querer um prefeito petista. Destes, 30% votam em Russomanno, o que significa 8% do total de eleitores. “Estamos em busca destes eleitores”, disse o vereador Antonio Donato, presidente municipal do PT e coordenador geral da campanha de Haddad.

Apesar da boa aprovação de Dilma e dos esforços de Lula, que já gravou participações nos programas de mais de 200 candidatos, o PT vai mal na disputa pelas principais cidades do País. A única das capitais onde o partido deve ganhar no primeiro turno é Goiânia. Em Recife e Fortaleza, as duas principais cidades governadas pelo PT, o partido corre o risco de perder para o PSB. Uma vitória na maior e mais rica cidade do país serviria para apagar tanto um possível desempenho ruim do PT quando a reputação de Lula, que se empenhou pessoalmente e pode sair chamuscado em caso de derrota.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG