Ao ler voto, Joaquim Barbosa indica que deve condenar Delúbio Soares

Ao analisar a participação de parlamentares do PL (hoje PR) no esquema do mensalão, relator afirma que ex-tesoureiro do PT determinou entrega de repasse a parlamentares

Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

O voto lido nesta tarde pelo ministro relator do processo do mensalão , Joaquim Barbosa, complicou a situação do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. Tomando por base depoimentos do operador do mensalão, Marcos Valério, Barbosa afirmou que Delúbio Soares supostamente foi o responsável por ter determinado pagamentos a congressistas do PL, hoje PR. 

Veja o especial do iG sobre o julgamento do mensalão

Falhas: Erros criam momentos de descontração no julgamento do mensalão

"O repasse de milionárias quantias ao PL foi feito por interlocução de Delúbio Soares, que indicou o nome dos beneficiários ao senhor Marcos Valério. Os parlamentares beneficiados ( inicialmente ) foram Valdemar Costa Neto e Bispo Rodrigues", aponta o ministro Joaquim Barbosa.

Na primeira parte da sessão de hoje, Barbosa disse que o ex-presidente do partido Valdemar da Costa Neto, o ex-vice-presidente Bispo Rodrigues e o ex-tesoureiro Jacinto Lamas praticaram crime de corrupção passiva . Os dois primeiros, segundo ele, também cometeram crime de lavagem de dinheiro.

Julgamento: Barbosa diz ver corrupção e lavagem de dinheiro por cúpula do PL

Saiba mais: 'Não há dúvidas sobre compra de voto no mensalão', diz Barbosa

Gervásio Baptista/SCO/STF
Barbosa vota sobre item que envolve compra de votos no esquema do mensalão

Somente Costa Neto, segundo o relator, recebeu aproximadamente R$ 2,5 milhões que foram fruto de acordo com o PT. “Valdemar Costa Neto também recebeu três repasses de elevados valores, em espécie, oriundos do PT, através de Marcos Valério, no período de votação do segundo turno da Reforma Tributária.” Ainda conforme Barbosa, partidos não são “doadores universais” a congressistas.

Delúbio Soares responde pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha.

A afirmação de Joaquim Barbosa serve de indicativo de que ele condenará o ex-tesoureiro do PT pelo crime de corrupção ativa. Havia expectativa de que as acusações contra petistas fossem julgadas nesta quinta, mas uma mudança na metodologia do julgamento empurrou essa análise para a semana anterior à eleição, marcada para o dia 7 de outubro. 

Leia também: Vazamento de penas previstas por Joaquim Barbosa foi erro de gabinete

Resultado: Confira o placar com os votos dos ministros no julgamento do mensalão

Delúbio é mais um integrante da cúpula do PT a ser citado nominalmente no julgamento do mensalão. Há aproximadamente duas semanas, o voto de alguns ministros do Supremo indicaram interferência direta do ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, nos trechos que tratavam de empréstimos ilegais tomados pelo PT junto ao Banco Rural. O ex-presidente do PT José Genoino também foi lembrado pelos ministros do STF como avalista dos empréstimos considerados ilegais concedidos pelo Banco Rural ao PT.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG