Erros criam momentos de descontração durante julgamento do mensalão

Ao ler voto nesta quarta-feira, relator Joaquim Barbosa arrancou risos dos colegas ao ler termos como 'emprenhar' e reclamar de corretor ortográfico

iG São Paulo |

Em meio à expectativa quanto à condenação de réus no julgamento do mensalão, erros de digitação e pequenas falhas na leitura do voto do ministro-relator, Joaquim Barbosa, resultaram em breves momentos de descontração no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF). Barbosa, que prosseguiu na tarde desta quarta-feira com sua análise sobre a compra de apoio político no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, arrancou risos dos colegas em pelo menos duas ocasiões.

Especial: Leia a cobertura completa sobre o julgamento do mensalão

Gervásio Baptista/SCO/STF
Pequenas falhas no texto fizeram ministro reclamar do corretor ortográfico

Enquanto discorria sobre a participação de políticos do PL (hoje PR) no mensalão, Barbosa falou em “emprenhar” recursos do esquema. “Acho que aqui não deve ser emprenhar, e sim empenhar”, riu o ministro.

Mais adiante, ainda em sua exposição sobre as acusações que pesam contra partidos da base aliada, Barbosa estranhou o conteúdo da página seguinte: “Está faltando algo, será que eu errei a página?” E, mais adiante, ao engasgar nas palavras novamente, riu ao se queixar do corretor ortográfico: “Ai, esses computadores que corrigem as coisas...”

Julgamento: Ao ler voto, Joaquim Barbosa indica que condenará Delúbio

Barbosa apresenta na tarde desta quarta-feira seu voto sobre o sexto item da denúncia do Ministério Público, que trata dos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Na primeira parte da sessão de hoje, ele se debruçou sobre acusações contra representantes do PL, entre eles o deputado Valdemar da Costa Neto. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG