Em nova nota, arcebispo critica 'ataque inaceitável' de aliado de Russomanno

D. Odilo Scherer se dirigiu a Marcos Pereira e também rebateu qualquer tentativa de "manipulação e instrumentalização da religião em função da busca do poder político"

iG São Paulo |

O arcebispo de São Paulo, d.Odilo Scherer, publicou nova nota neste domingo para criticar o que chamou de “ataques inaceitáveis” à Igreja Católica por parte do braço direito de Celso Russomanno, candidato do PRB , na disputa pela Prefeitura de São Paulo. “Muito nos entristeceu, no contexto da propaganda eleitoral partidária, ver a Igreja Católica Apostólica Romana atacada e injuriada, de maneira injustificada e gratuita, justamente num artigo do chefe da campanha de um candidato à Prefeitura de São Paulo”, diz a nota.

Russomanno: Aliado defende artigo sobre ‘kit gay’, alvo de repúdio da Igreja Católica

Candidato do PRB:  'Religião é religião e política é política', diz Russomanno

PRB-RJ/Divulgação
Presidente nacional do partido de Russomanno, Pereira é bispo licenciado da Igreja Universal

A crítica de d. Odilo Scherer se dirige a Marcos Pereira, bispo licenciado da Igreja Universal e presidente nacional do partido de Russomanno. Essa é a segunda vez que a Arquidiocese se manifesta sobre o artigo de Pereira que envolve a Igreja Católica nas críticas que fez em seu blog sobre o “kit gay”, o material de campanha contra a homofobia que gerou polêmica quando Fernando Haddad era o ministro da Cultura. Pereira afirmou que a Igreja Católica tem o "controle das ações do governo, seja federal, estadual ou municipal" e nos impõe "a ditadura das minorias".

Galeria de fotos: Veja o fim de semana dos candidatos

Haddad: 'Querem criar uma guerra santa na cidade de São Paulo'

Serra: Tucano chama de 'absurda' crítica de aliado de Russomanno à Igreja Católica

Na quinta-feira, a Arquidiocese de São Paulo publicou nota de repúdio ao texto, publicado em maio de 2011, acusando Pereira de fomentar a discórdia. Na nova nota, o arcebispo diz que “semelhantes ataques são inaceitáveis” e rebate qualquer tentativa de “manipulação e instrumentalização da religião, em função da busca do poder político”.

Em seu blog,  Pereira não negou os argumentos do artigo sobre o "kit gay" , mas disse que suas opiniões refletem "naquele momento, minha liberdade de expressão e livre pensamento, sem qualquer conotação política ou eleitoral". "Lamento que tal exercício de pensamento publicado há um ano e quatro meses seja usado de maneira indevida às vésperas da eleição para a prefeitura de São Paulo", afirmou no blog.

Questionado sobre o artigo de Pereira e a resposta da Arquidiocese na quinta, Russomanno minimizou o conflito e disse que o "Brasil é um País de paz e não existe guerra religiosa" . "Cada um tem a sua religião e eu respeito todas", respondeu o candidato do PRB.

O candidato tucano José Serra chamou de absurdas as críticas de aliado de Russomanno à Igreja Católica e o candidato petista Fernando Haddad afirmou considerar "um equívoco grave" introduzir o tema da religião nas eleições.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG