Em almoço por Haddad, Lula terá de se dividir entre adversários no Recife

Evento em São Paulo vai reunir o candidato petista Humberto Costa e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos; PT teme uso de imagens na campanha do PSB

Ricardo Galhardo - iG São Paulo | - Atualizada às

Concebido para ser uma grande festa de aproximação entre o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad , o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a imensa comunidade nordestina de São Paulo, o almoço com os governadores do Nordeste marcado para este domingo se transformou em motivo de tensão.

Leia mais:  Em ato com Lula e Haddad, PT poupa Russomanno e ataca Serra

Recife:  Debate expõe duelo entre candidatos de Eduardo Campos e Lula

Leia também: Agenda de Lula provoca ciúmes e disputa entre PT e aliados no Recife

Alan Sampaio / iG Brasília
Com PT e PSB em disputa no Recife, Eduardo Campos será uma das estrelas do almoço deste domingo

Tanto o senador Humberto Costa (PT-PE), candidato do PT à Prefeitura do Recife, quanto o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), confirmaram presença no almoço com Lula e Haddad no Centro de Tradições Nordestinas do bairro do Limão.

Ibope:  Candidato de Eduardo Campos assume liderança no Recife

Campos virá acompanhado de uma equipe de filmagem da campanha de seu candidato à Prefeitura do Recife, Geraldo Julio (PSB). Os petistas temem que o governador use as imagens de Campos e Lula no programa eleitoral do candidato.

Leia também: PT já traça cenário de 2º turno sem Serra e cogita buscar apoio do PSDB

Além dos governadores, a organização do evento também convidou os senadores nordestinos de partidos da base aliada do governo. Costa aceitou o convite e também deve vir acompanhado de uma equipe de filmagem.

O desconforto de Lula com a situação é evidente. Hoje a assessoria do Instituto Lula informou que não está previsto encontro reservado do ex-presidente com Campos. Lula tem atuado para minimizar a crise entre PT e PSB desencadeada com o racha no Recife e aprofundada com as disputas entre os dois partidos em Fortaleza e Belo Horizonte.

Eleição em São Paulo: Dilma estreia em programa de Haddad

Saiba mais: Confira o especial do iG sobre a corrida eleitoral de 2012

A atuação do ex-presidente, no entanto, é limitada pela pressão de Costa, que cobra a presença física de Lula em seu palanque. O ex-presidente tem, por enquanto, se limitado a gravar participações para o programa de Costa na TV e dá sinais dúbios quanto a sua presença no Recife.

“Vai ser uma situação delicadíssima. Qualquer passo em falso de Lula pode desagradar Costa ou Campos”, disse um interlocutor do ex-presidente.

Segundo a assessoria de Costa, não existe preocupação porque o senador e o governador já se encontraram outras vezes desde o início da campanha.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG