'Não haverá segundo turno em Belo Horizonte', diz dirigente do PSDB mineiro

Otimismo tomou conta da campanha de Márcio Lacerda (PSB) depois da última pesquisa eleitoral

Pedro Venceslau - Brasil Econômico |

O antídoto utilizado pela campanha de Patrus Ananias (PT) em Belo Horizonte não funcionou. Mesmo depois de usar e abusar da imagem e das declarações de apoio da presidenta Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , o candidato petista na capital mineira vê a disputa cada vez mais próxima de ser definida no primeiro turno.

Leia mais: Lacerda amplia vantagem sobre Patrus em Belo Horizonte, diz Datafolha

Leia também: Em debate, Lacerda e Patrus duelam e são atacados por 'nanicos'

Se ele subir mais dois pontos percentuais nas próximas sondagens, o prefeito Márcio Lacerda (PSB), que é apoiado pelos tucanos Aécio Neves e Antonio Anastasia, sairá da disputa com uma vitória consagradora. O clima de euforia tomou conta do comando da campanha lacerdista e a modéstia foi deixada de lado. “Não haverá segundo turno em Belo Horizonte. Aqui na capital, a esquerda ideológica que corre por fora soma 3%”, diz o entusiasmado presidente do PSDB mineiro, Marcus Pestana. “É uma ilusão dos nossos adversários achar que Dilma e Lula decidem a eleição em BH. A presidenta, diga-se, é gaúcha. Não há motivos para os mineiros aceitarem palpite dela”, diz o dirigente.

AE
O candidato do PSB à Prefeitura de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, conta com o apoio do tucano Aécio Neves: líder absoluto e com chances de ser reeleito no primeiro turno

Ao Brasil Econômico , o cientista político Marcos Coimbra, presidente do Instituto Vox Populi, disse ser “pouco provável” que aconteça um segundo turno na cidade. “O poder da transferência de votos é algo questionável. O eleitor partidário e ideológico se define muito cedo. Quem é Serra, é Serra. Não precisa de FHC. Em Belo Horizonte é a mesma coisa”, diz.

Leia também: TSE nega liminar do PSD nacional para apoiar Patrus Ananias

Para Coimbra, Lula “definitivamente não foi um remédio que transformou água em vinho em BH”. Ao saber do resultado, o líder Marcio Lacerda (PSB) disse que sua campanha manterá a mesma estratégica. “Estamos a 25 dias das eleições e nossos números estão apresentando um crescimento contínuo. Fazemos uma campanha propositiva e ética, do jeito que o eleitor mineiro espera dos seus candidatos”. A série histórica do quadro mineiro mostra que Lacerda passou de 44% para 46% e, agora, chegou aos 49%. O candidato petista minimizou o resultado da última pesquisa. “Sinto que a campanha está crescendo, o sentimento das ruas é muito forte. [...] Vamos continuar com as carreatas, as plenárias, os encontros, com a certeza de que a nossa campanha leva o selo e a marca da vitória."

Para a deputada federal Jô Moraes (PCdoB), no comando da campanha de Patrus, o processo em Belo Horizonte está completamente imprevisível. “Acredito que ainda dá para reverter. Há muita instabilidade na posição do eleitor”. A pesquisa Datafolha apontou que, dos 42% dos eleitores que disseram ter assistido ao horário eleitoral, mais da metade (52%) acha que Lacerda está se saindo melhor. 

Leia mais notícias sobre política, economia e negócios no Brasil Econômico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG