Oposição rebate Dilma e diz que redução de tarifa de energia é 'eleitoreira'

Líderes do PSDB e do DEM acusam presidenta de antecipar anúncio da medida para beneficiar candidatos do PT nas eleições municipais

Nivaldo Souza - iG Brasília |

A oposição rebateu nesta terça-feira (11) a artilharia usada pela presidenta Dilma Rousseff para apresentar a redução da tarifa de energia entre 16% e 28% a partir de 2013 , recordando o “apagão” energético de 2001, durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso . “A redução é uma coisa positiva, mas foi anunciada em um período eleitoral, portanto, é eleitoreira”, afirma o senador José Agripino Maia (DEM-RN).

Leia mais: Dilma faz referência ao 'apagão' do governo FHC

Leia também: Governo fará aporte de R$ 3,3 bilhões para compensar energia barata

O líder do DEM no Senado diz que há “conotação eleitoreira” na antecipação da redução que chegará à conta de luz do eleitor apenas em 2013. Maia criticou também a menção do ‘apagão’ de 2001 por Dilma, que afirmou que o País “amargou oito meses de racionamento que gerou prejuízo a todos”. Segundo o senador, “o fato de ter feito esse contraponto comprova a conotação eleitoreira”.

Saiba mais: Preço menor da energia fará inflação cair, diz ministro

Relembre: Dilma anuncia redução de 16,2% na conta de luz para casas e 28% para indústrias

O deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), líder tucano na Câmara, classificou a redução tarifária de “soluço” em relação ao “voraz apetite” da arrecadação de impostos pela União. “Se as medidas econômica tiverem ligação com o ‘mensalão’ [para minimizar a exposição do PT], todo brasileiro tem de torcer para o julgamento durar o ano inteiro para conseguirmos reduzir a carga tributária abusiva”, diz, em referência às medidas de desoneração fiscal anunciada pelo governo federal ao longo do ano.

Araújo também aponta a redução no preço da conta de luz como medida pró-candidatos do PT nas eleições municipais. “Há um efeito da pressão do PT sobre a presidenta, que até pouco tempo via os movimentos positivos do governo FHC e agora mudou de comportamento”, afirma.

    Leia tudo sobre: dilma rousseffdilmaenergiacortereduçãotarifasPSDBPT

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG