PT já traça cenário de 2º turno sem Serra e cogita buscar apoio do PSDB

Após reunião envolvendo a cúpula do partido, o comando da campanha de Haddad e o ex-presidente Lula, petistas já vislumbram confronto com Celso Russomanno na fase final

Ricardo Galhardo - iG São Paulo | - Atualizada às

Em reunião organizada nesta segunda-feira (10), na sede do Instituto Lula, em São Paulo, a cúpula do PT, o comando de campanha de Fernando Haddad , o próprio candidato e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concluíram que o cenário mais provável da eleição para a Prefeitura de São Paulo é uma disputa entre Haddad e o candidato do PRB, Celso Russomanno , no 2º turno. Os petistas já cogitam, inclusive, a possibilidade de buscar o apoio do PSDB de José Serra em um eventual 2º turno. De acordo com a última pesquisa do Datafolha, Serra tem 21% das intenções de voto, contra 16% de Haddad . Russomanno lidera com 35%. 

Leia mais: Após estrear na TV citando mensalão, FHC deve voltar à campanha de Serra

Leia também: Em recado a Russomanno, Haddad critica 'partidarização' de igrejas

Na reunião, foram analisados números de pesquisas internas que, segundo o presidente nacional do PT, Rui Falcão, já mostram Haddad ligeiramente à frente do Serra na preferência do eleitorado. “O ‘tracking’ mostra que estamos subindo e que o Russomanno caiu um pouco. O Haddad está um pouco à frente [ do Serra]”, disse Falcão.

Saiba mais: Haddad desafia Serra a defender gestão do prefeito Gilberto Kassab

TViG: 'Eu incomodo os grandes partidos', diz Russomanno; assista

Lola Oliveira/Brazil Photo Press/AE
Mais cedo, o candidato do PT, Fernando Haddad, participou de caminhada pelo centro de São Paulo: otimismo com chances de ir ao 2º turno

A reunião contou com a presença do cientista político Alberto Carlos de Almeida, que trouxe dados comparativos de outras eleições e ajudou na interpretação das pesquisas atuais. Entretanto, segundo Haddad, a conclusão de que o provável adversário no 2º turno será Russomanno foi do comando da campanha, juntamente com Lula, e não do cientista político. “Analisamos este cenário [sem Serra no 2º turno] como o mais provável. Foi a campanha. A análise foi feita à luz do que ele [Almeida] apresentou, mas o diagnóstico não é dele”, disse o candidato.

Especial iG: Leia todas as notícias sobre as eleições municipais de 2012

Segundo o presidente municipal do PT, Antonio Donato, o novo cenário é uma surpresa, já que no início da campanha ninguém previa a ascensão e a consolidação de Russomanno nas pesquisas.

O PT até já cogita a possibilidade de buscar um eventual apoio do PSDB no 2º turno. “Se a tendência se materializar, e é o que esperamos, vamos buscar apoio de todos os partidos que estiveram com outros candidatos no 1º turno. Aí você pode incluir o PSDB”, afirmou Rui Falcão.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG