Em São Paulo, Dilma grava para Haddad e Patrus

Plano inicial era manter neutralidade no 1º turno para não melindrar candidatos de partidos da base aliada, mas presidenta abriu exceção para São Paulo e Belo Horizonte

Agência Estado |

Agência Estado

Além de gravar mensagens de apoio ao candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, a presidenta Dilma Rousseff aproveitou sua visita a São Paulo na quarta-feira (5) para registrar também sua participação no programa eleitoral do candidato do partido à prefeitura de Belo Horizonte (MG), o ex-ministro Patrus Ananias.

Disputa por Dilma e Lula: PT faz 'manual' sobre como barrar uso da imagem por aliados

Dilma se empenhou para que Patrus se lançasse na disputa eleitoral contra o prefeito Marcio Lacerda (PSB), aliado do senador tucano Aécio Neves e candidato do partido que, embora aliado nacional do PT, é adversário na capital do Estado onde a presidenta nasceu.

Pesquisa Ibope divulgada na quarta-feira (5) aponta que Patrus subiu 7 pontos e reduziu para 14 a vantagem de Lacerda na corrida em Belo Horizonte . O prefeito oscilou de 46% das intenções de voto para 44%, e Patrus subiu de 23% para 30%. A margem de erro é de 3 pontos porcentuais.

Debate em Belo Horizonte: Candidatos à Prefeitura se enfrentam em debate nesta sexta

Para dirigentes petistas em Minas, a entrada de Dilma na campanha de Patrus fortalecerá a trajetória de ascensão do ex-ministro. O plano inicial de Dilma era se manter neutra no primeiro turno das eleições municipais para não melindrar candidatos de partidos de sua base aliada no Congresso, mas a presidenta abriu exceção para São Paulo e Belo Horizonte. As imagens de Dilma devem ser usadas nos horários eleitorais de Haddad e Patrus nos próximos dias.

A disputa entre PT e PSB em Belo Horizonte e Recife (PE), onde o PSB frustrou os petistas lançando candidatura própria, tem como pano de fundo uma possível candidatura de Eduardo Campos (PSB) à Presidência da República em 2014. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo publicada na segunda-feira (3) o presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou que a sigla já vê um eventual rompimento com o PSB na eleição presidencial de 2014.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG