'Anúncio de corte no preço da energia é eleitoreiro', diz líder da oposição

Senador José Agripino Maia, do DEM, afirmou que medida visa principalmente alavancar candidaturas do PT em São Paulo e de aliados

Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

O líder do DEM, senador Agripino Maia (RN), classificou como “eleitoreira” a decisão da presidenta Dilma Rousseff (PT) de determinar a queda de 16,2% na conta de energia de consumidores residenciais a partir do início do ano que vem. Maia disse que não era contra esse tipo me medida, mas criticou o momento em que ela foi tomada.

Leia também:  Dilma anuncia redução de 16,2% na conta de luz para casas

Segundo Maia, a presidenta poderia ter tomado essa decisão no início do ano. “A presidenta fez apenas um anúncio de uma medida que vai ocorrer apenas no ano que vem. Se o corte ocorresse ainda esse ano, já seria questionável, mas aceitável”, disse Maia.

“Aliado ao fato de que a presidenta ter anunciado sua participação em algumas campanhas eleitorais, foi claríssimo um anúncio eleitoreiro, uma atitude extremada”, complementou.

O senador acredita que a medida foi tomada apenas como forma de alavancar candidaturas do PT em cidades importantes como São Paulo ou em Belo Horizonte.

Em São Paulo, Fernando Haddad é o terceiro colocado nas intenções de voto, atrás de Celso Russomanno (PRB) e de José Serra (PSDB), conforme pesquisa Datafolha divulgada na semana passada.

Na capital de Minas Gerais, o petista Patrus Ananias é o segundo colocado atrás de Márcio Lacerda (PSB), candidato à reeleição.

A redução do custo das contas de luz para consumidores residenciais foi anunciada na noite desta quinta-feira. Os detalhes serão divulgados na próxima terça-feira, 11 de setembro. A medida, segundo a presidenta, tem o objetivo de incentivar a competitividade econômica do país frente à crises internacionais.

    Leia tudo sobre: dilma rousseffenergiaagripino maiadempteleições2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG