De mesquitas muçulmanas a centros de umbanda; dos galpões onde ocorrem os cultos evangélicos a igrejas católicas. Todas fizeram parte do itinerário do candidato

Agência Estado

Com seu nome atrelado à Igreja Universal do Reino de Deus , o candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno , tem trabalhado suas agendas para tentar se dissociar do estigma de ser filiado a um partido de bispos.

Durante a campanha, o ex-deputado tem visitado vários centros religiosos, cristãos ou não, para se descolar da Universal. Em seu discurso, sustenta que a desconfiança por ser ligado à igreja de Edir Macedo "já se dissipou". Segundo já afirmou, Russomanno é católico fervoroso e não sofre nenhuma pressão partidária por isso.

Saiba mais: 'Seria bom uma igreja por quarteirão', defende Russomanno

Leia mais: Voz da IURD, PRB quer dobrar número de prefeitos e mira em 2014

Celso Russomanno tem participado de diversos encontros com religiosos em sua campanha
AE
Celso Russomanno tem participado de diversos encontros com religiosos em sua campanha


De mesquitas muçulmanas a centros de umbanda; dos galpões onde ocorrem os cultos evangélicos a igrejas católicas. Todas, em algum momento, fizeram parte do itinerário de campanha de Russomanno, que nelas busca apoio, recebe bênçãos e se vê em mais uma chance de posar para fotos ao lado de líderes de outras religiões.

Estratégia: Rivais miram redutos de Russomanno em São Paulo

No domingo, em visita à Igreja Messiânica do Solo Sagrado, no extremo sul da cidade, Russomanno voltou a reforçar o ecumenismo na fala. "As pessoas não roubam, não matam, não usam drogas porque elas têm religião. O poder público tem que preservar, tem que ajudar a regularizar os templos para que as pessoas tenham um pouco de paz. A religião faz um trabalho que deveria ser do Estado e o Estado não faz", afirmou. Ele repetiu que vai regularizar todos os templos da capital.

Campanha: Líder em pesquisa, Russomanno afirma que manterá mesma estratégia

Pesquisa:  Serra cai 5 pontos em oito dias e Russomanno lidera, indica Datafolha

Para o candidato, a igreja é a linha de conduta do ser humano. "Essa perseguição não pode haver. Antes de autuar, o poder público tem obrigação de orientar para que os líderes religiosos façam da maneira certa. O gestor público que não enxerga isso não conhece seu passado nem enxerga seu futuro", afirmou.

A Igreja Messiânica do Solo Sagrado segue uma doutrina de origem japonesa, baseada no respeito a todos os líderes religiosos. O culto é realizado no "Solo Sagrado", uma área preservada em volta da Represa de Guarapiranga, na zona sul, onde os fiéis acreditam ser o "protótipo do paraíso terrestre". As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.