Haddad propõe que bilhete único mensal custe R$ 140

Para viabilizar a iniciativa, o candidato petista prevê um desembolso adicional de R$ 400 milhões por ano para as empresas de ônibus municipais

Agência Estado |

Agência Estado

O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad , afirmou neste domingo que o preço do bilhete único mensal proposto em sua campanha será de RS 140. Para estudantes, o valor do bilhete será de R$ 70. "Terminamos ontem os cálculos e chegamos ao valor de RS 140. Com ele, a população de São Paulo terá direito de fazer quantas viagens que quiser por dia, ao longo de todo o mês", afirmou o candidato. Haddad já havia sinalizado que a tarifa seria ao redor de RS 140.

Leia:  Marta e Dilma entram na campanha em São Paulo neste mês, afirma Haddad

Após período ausente:  PT divulga vídeo de Marta apoiando candidatura de Haddad

AE
O candidato à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, participou de carreata em Itaquera no sábado


Para viabilizar a iniciativa, Haddad prevê um desembolso adicional de R$ 400 milhões por ano para as empresas de ônibus municipais, ou aproximadamente 1% do orçamento anual da prefeitura. O montante, a ser repassado às empresas de transporte público da capital, representa um acréscimo de 50% em relação aos atuais valores pagos pela administração municipal, na casa de R$ 800 milhões, segundo Haddad.

"É um investimento que, em nossa opinião, vai contribuir muito para que o transporte público volte a ser uma alternativa importante", destacou o candidato, pouco antes de iniciar uma carreata na região Sul de São Paulo.

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

O candidato afirmou que o novo bilhete único mensal será complementar ao atual modelo. "Para quem faz poucas viagens, continua interessante pagar RS 3 por três horas de uso. Mas para aquele que utiliza ou quer usar mais intensivamente o sistema de transporte público, vai poder adotar o bilhete mensal", explicou.

A iniciativa, ainda segundo o candidato, poderá ser inaugurada já em um modelo integrado a trens e metrô. Para isso, contudo, a possibilidade precisará ser acordada com o governador Geraldo Alckmin . "A intenção é, ainda este ano se possível, após as eleições, definir o lançamento (do bilhete único mensal) conjunto, já com a integração a trens e metrô", disse.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG