Câmara de Fortaleza cria CPI para investigar fraudes no Bolsa Família

Iniciativa foi tomada após vir à tona denúncia de que esposa de vereador era beneficiária do programa do governo federal para famílias de baixa renda

Daniel Aderaldo - iG Ceará |

Uma semana após ser revelado que a esposa do vereador de Fortaleza e candidato à reeleição Leonelzinho Alencar (PTdoB) foi beneficiária do Bolsa Família por 14 meses , a Câmara Municipal anunciou a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar fraudes no programa do governo federal.

Leia mais: Mulher de vereador de Fortaleza recebia Bolsa Família

Leia também: Dilma discute Bolsa Família em encontro com primeira-dama do Peru

A discussão que levou a instauração da CPI aconteceu em uma reunião fechada na manhã desta terça-feira (28). Após a deliberação sobre a investigação, o presidente da Câmara, vereador Acrísio Sena (PT), anunciou a composição do colegiado durante a sessão plenária.

Os vereadores querem saber se existem mais casos semelhantes ao da família do vereador e como é possível uma pessoas que não é de baixa renda se cadastre em programas sociais e receba vantagens e dinheiro do governo federal.

Saiba mais: Mais de 14 mil famílias perdem Bolsa Família por falta de crianças à aula

Saiba tudo: Leia todas as notícias sobre o programa Bolsa Família

De outubro de 2009 a dezembro de 2010, Adriana Lúcia Bezerra de Alencar sacou, ao todo, R$ 176 do programa do governo federal. Leonelzinho admitiu a irregularidade, pediu desculpas e chegou a chorar durante pronunciamento na tribuna, mas ao tentar justificar o ato, acabou se complicando mais ainda.

Segundo o vereador, a mulher se inscreveu no Cadastro Único para ter direito a uma tarifa social da Companhia Energética do Ceará (Coelce) exclusiva para famílias de baixa renda com pequeno consumo mensal de energia elétrica.

A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), responsável pela gestão do banco de dados do Cadastro Único para programas sociais, confirmou que a esposa do vereador foi inscrita em 8 de junho de 2007.

Leonelzinho declarou ser favorável a CPI, mas teme se tornar o alvo principal da investigação. Ele disse que não quer "parâmetro" para todas as eventuais irregularidades descobertas.

    Leia tudo sobre: fortalezabolsa famíliavereadoresdenúnciaceará

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG