Se ler voto integralmente, ministro analisará pontos ainda não abordados pelo relator, Joaquim Barbosa, devido a julgamento "fatiado"

Reuters

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Cezar Peluso disse nesta sexta-feira que revelará na hora "oportuna" a decisão sobre seu voto na ação penal do mensalão . Peluso se aposenta compulsoriamente em 3 de setembro, ao completar 70 anos.

Procurador: 'É melhor Peluso votar em parte do mensalão do que em nada', diz Gurgel

Entenda: Voto antecipado de Peluso vira incógnita e divide STF

Cezar Peluso se aposenta antes do fim do julgamento do mensalão no STF
Dilvulgação
Cezar Peluso se aposenta antes do fim do julgamento do mensalão no STF

O regulamento do Supremo prevê a antecipação de votos de ministros, mas como o julgamento do caso ocorre de maneira "fatiada", de acordo com os itens da denúncia do Ministério Público Federal (MPF), há dúvidas se Peluso poderia usar esta opção, já que, se ler seu voto integralmente, analisaria pontos ainda não abordados pelo relator, Joaquim Barbosa.

"Vocês verão na hora oportuna", disse Peluso a jornalistas ao ser questionado sobre seu voto após participar de evento em Brasília, segundo a assessoria de imprensa do STF. O ministro participará de apenas mais três sessões no julgamento. A próxima, na segunda-feira, será usada para esclarecimentos de Barbosa e, possivelmente, de uma tréplica do revisor, ministro Ricardo Lewandowski. Só depois disso que os demais ministros iniciarão a leitura de seus votos no primeiro item analisado pela Corte.

Veja o especial do iG sobre o julgamento do mensalão

Há dúvidas também se Peluso poderá ler seu voto relativo ao primeiro item abordado sem ponderar a pena no caso de condenação, o que só deverá ocorrer na etapa final do julgamento.

Leia também: 'Meu pai já foi condenado, destruíram a imagem dele', diz filho de Dirceu

Peluso negou na quarta-feira, após sessão destinada ao julgamento do caso, que havia se manifestado a favor de uma antecipação integral no processo. "Jamais revelei o que quer que seja, nem mesmo à minha mulher".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.