Marta e Lula acertam reunião para definir entrada da senadora na campanha do PT

Encontro será realizado na próxima segunda-feira, no Instituto Lula, e servirá para colocar um ponto final nas divergências entre o ex-presidente e a ex-prefeita sobre candidatura Haddad

Agência Estado |

Agência Estado

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) vai mesmo se reunir na próxima segunda-feira (27) com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para, finalmente, colocar um ponto final nas divergências e selar a paz entre os dois. Num almoço no Instituto Lula, a ex-prefeita de São Paulo discutirá com Lula sua entrada na campanha do petista Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo.

Leia mais: Dilma pede a Marta que entre na campanha de Haddad em São Paulo

Leia também: Lula faz última apelo para que senadora entre na campanha do PT

Após apelo da presidenta Dilma Rousseff , Marta se colocará à disposição para gravar mensagens para a propaganda no rádio e na TV. A senadora deve ouvir do ex-presidente o pedido para que apresente o seu afilhado político na periferia, uma vez que Marta é forte nestas regiões e pesquisas indicam que o candidato do PRB, Celso Russomanno , cresceu nos redutos de Marta, especialmente na zona leste da cidade. 

Especial iG: Leia todas as notícias sobre as eleições municipais de 2012

AE
Fernando Haddad e Marta Suplicy conversam durante evento em São Bernardo do Campo; ex-presidente Lula vai mediar entrada da senadora na campanha do PT em São Paulo

Marta se reuniu com Dilma duas vezes nesta semana. Nos encontros, Dilma disse à senadora que só decidirá de que maneira entrará na campanha de Haddad após 7 de setembro. Aos caciques petistas, Dilma avisou que está envolvida nas negociações com os servidores federais em greve e focada nas medidas para alavancar a economia brasileira. A presidente ressaltou à senadora que agora não poder se indispor com os outros dois partidos da base aliada (PRB e PMDB) que têm candidatos à sucessão do prefeito Gilberto Kassab (PSD).

Leia mais: Haddad e Chalita repetem programas na TV, e Serra mostra propostas

Leia também: Campanha de Serra diz que proposta de Haddad é bilhete 'mensaleiro'

Há nove meses, Marta desistiu de disputar a Prefeitura de São Paulo atendendo a um pedido de Dilma e, desde então, vem relutando em entrar na campanha de Haddad. Ela chegou a dizer que ele teria de "gastar muita sola de sapato" e, durante um evento de homenagem a Lula, afirmou, na presença do ex-ministro da Educação, que "só o novo não basta". Contrariada, a senadora foi a grande ausência do encontro municipal do partido que selou Haddad como candidato.

Líderes petistas contam que, ao longo dos últimos meses, a senadora e o ex-presidente cultivaram ressentimentos mútuos. Marta avalia que, ao forçar a candidatura de Haddad, Lula a deixou sem horizontes políticos para disputar um mandato no Executivo. Já Lula entende que a senadora erra ao não apoiar Haddad. Na última semana, Marta deu o primeiro passo: ligou para Lula dizendo-se feliz com a sua recuperação após o tratamento contra um câncer na laringe.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG