'Dilma me alertou', diz Haddad sobre ataque de Serra em programa de rádio

Candidato do PT rebateu a crítica do tucano, que chamou de 'bilhete mensaleiro' a proposta de bilhete único mensal em São Paulo

iG São Paulo |

O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad , rebateu nesta sexta-feira as críticas do adversário José Serra (PSDB) sobre a proposta de bilhete único mensal na propaganda de rádio. Em seu programa, Serra chamou a ideia de Haddad de "bilhete mensaleiro" , em referência ao julgamento do mensalão que envolve petistas no STF.

Leia mais:  Campanha de Serra critica proposta de Haddad: 'bilhete único mensaleiro'

Leia também: TSE reduz tempos de propaganda do PT e PSDB

Saiba mais: Campanha na TV mudará cenário eleitoral em 15 dias

Divulgação
Haddad rebate críticas de Serra no rádio

Para Haddad, os ataques à sua proposta “lembram a campanha (presidencial) de 2010”, ao buscar desinformar o eleitor. “A presidenta Dilma me alertou de que teríamos isso nessa eleição, um tom muito agressivo e que em nada contribui para o debate de propostas para a cidade”, afirmou o petista.

Horário eleitoral: Propaganda na TV é ‘divisor de águas’ nas campanhas

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Ele também avisou que não vai usar "ataques pessoais" como o adversário. “Estamos muito preparados para defender nossas propostas sem ataques pessoais. O que é muito diferente de adversários que com ataques completamente despropositados buscam subestimar a capacidade do eleitor em julgar as propostas e escolher aquela que considera melhor”, disse Haddad.

Ele explicou que o bilhete único mensal vai permitir viagens ilimitadas durante o período de um mês, com uma única tarifa, e não invalida o bilhete único como funciona hoje. Segundo o candidato do PT, o modelo defendido pela campanha já vigora há muito tempo em cidades da Europa. “Aqueles que já tiveram oportunidade de visitar esses países sabem que o bilhete único pode ser adaptado às necessidades do usuário: por uma hora, por três horas, ou por um mês inteiro”, afirmou.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG