Líder em pesquisa, Russomanno afirma que manterá mesma estratégia

Candidato do PRB diz que, apesar de ter menos tempo no horário eleitoral, continuará circulando pelas ruas e não fará ataques pessoais a adversários

Bruna Carvalho - iG São Paulo | - Atualizada às

No primeiro dia em que figurou como líder nas pesquisas , segundo o instituto Datafolha, o candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, inaugurou seu comitê central de campanha no bairro do Jardim Paulista, em São Paulo. Em companhia do seu vice, Luiz D'Urso (PTB), e do presidente do PRB, Marcos Pereira, o candidato comemorou o resultado das pesquisas, mas disse que a postura de sua equipe será a mesma adotada "se estivesse em último lugar" e que manterá a mesma estratégia adotada até este momento.

Datafolha:  Russomanno ultrapassa Serra e lidera pela 1ª vez em São Paulo

Pesquisa Ibope: Russomanno venceria Serra no segundo turno

AE
Ao lado de seu vice, Luiz D'Urso (PTB), Celso Russomanno (PRB) inaugura comitê central de campanha

"Nossa estratégia é andar no meio do povo. Não tem estratégia nova. Não tem ovo de Colombo, nova fórmula", afirmou o candidato em uma das salas do comitê, que ocupa quatro casas na avenida Nove de Julho.

Segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira, Russomanno tem 31% das intenções de voto. Serra cai 3 pontos e aparece com 27%. Considerando a margem de erro de 3 pontos para cima ou para baixo, os candidatos ficariam tecnicamente empatados.

Saiba mais:  Mesmo empatado com Serra, Russomanno fica em desvantagem

Leia:  Fora da TV, candidatos apostam em games e redes sociais para fisgar eleitor

Sobre uma possível "desidratação" de sua campanha, apontada recentemente por analistas políticos, o candidato respondeu com uma brincadeira: "Eu fico feliz de ouvir sobre desidratação. Eu estou mais magro de tanto andar nas ruas. Essa é a única desidratação que eu acredito."

Ele negou que vá fazer alguma alteração ou adotar novas alternativas com o início do horário eleitoral, apesar de seu tempo reduzido. Russomanno tem pouco mais de dois minutos na TV, enquanto seus rivais José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) têm mais de sete minutos.

Apoio:  Igreja acusa Kassab de 'perseguição' e dá bênção a Russomanno

Leia também:  Rivais miram redutos de Russomanno em São Paulo

Em uma tentativa de mostrar-se com um perfil conciliador, o candidato prometeu não fazer ataques pessoais a seus concorrentes e disse que, se eleito, trabalhará junto a Geraldo Alckmin (PSDB), que apoia o seu rival tucano. "Nós vamos ajudar o governador do Estado na segurança pública".

O evento de inauguração do comitê contou com a presença de candidatos a vereador, como Chico Lang (PTB) e Rodolfo Despachante (PHS), e com os presidentes dos partidos que compõem a coligação - com exceção de Campos Machado, que mandou como representante a esposa, Marlene Machado.

O local do comitê, que estava em reforma até a semana passada, ainda estava improvisado, com algumas salas vazias, sem móveis, e com poucos sofás colocados ainda hoje, para receber a imprensa e os convidados. Do lado de fora, na calçada, um caminhão com um telão tocava o jingle de campanha do candidato a prefeito e passava vídeos usados no site oficial de Russomanno, com mensagens de impacto e apelo emocional.

"São Paulo, uma cidade punjante, mas com seu povo esquecido. (Celso Russomanno), um homem que olha nos olhos das pessoas e diz que é possível. Mostra que a política não é um palco de vaidades", afirmava a locução do vídeo.

Ricardo Bérgamo, coordenador de marketing da campanha, repetiu o discurso de Russomanno dizendo que a estratégia seguirá a mesma, apesar do pouco tempo no horário eleitoral e a liderança nas pesquisas. "Não é hora de mexer (na campanha). Se alguém tem que mexer alguma coisa é quem tem 7%, 8%", afirmou.


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG