Lewandowski soube no cafezinho do STF que não leria seu voto hoje

Menos de 15 minutos antes da sessão, revisor foi informado de que Barbosa alterou novamente a metodologia do julgamento e que só deve dar seu voto na quarta-feira

Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

O revisor do processo do mensalão, ministro Ricardo Lewandowski, soube no “cafezinho” da sala de espera do Supremo Tribunal Federal (STF) que o ministro relator da ação, Joaquim Barbosa, iria alterar mais uma vez a metodologia de julgamento nesta segunda-feira. O presidente do Supremo, Ayres Britto, confirmou que o voto do revisor deve acontecer apenas na quarta-feira, e não hoje como era esperado.

Leia mais:  Defesa de réus do mensalão cobra do STF explicações sobre voto fatiado

STF: Barbosa inverte capítulos e altera sequência de julgamento do mensalão

Mensalão: Barbosa vence queda de braço no STF e julgamento será fatiado

STF / Divulgação
Ricardo Lewandowski é responsável por revisar o processo do mensalão

Na semana passada, Barbosa e Lewandowski travaram uma batalha interna no Supremo por conta da mudança abrupta do relator sobre como ele apresentaria seu voto. A ideia inicial era que Barbosa apresentasse seu parecer sobre todos os 37 réus de uma vez, mas, na quinta-feira, adotou o método de votação “fatiada” por núcleos da denúncia.

Veja o especial do iG sobre o julgamento do mensalão

Cronologia: Relembre os fatos que resultaram no processo do mensalão

No primeiro momento, foram apresentadas as acusações contra o deputado do PT João Paulo Cunha (PT), o publicitário Marcos Valério, e seus sócios Cristiano Paz e Ramon Hollerbach pelos crimes de corrupção ativa e peculato. Em tese, o ministro Ricardo Lewandowski apresentaria o seu voto na sessão desta segunda-feira dando o seu parecer sobre as primeiras imputações atribuídas pelo ministro relator, relacionadas especificamente ao contrato da SMP&B com a Câmara dos Deputados.

Decisão: Ministros do STF anulam processo de um dos réus do mensalão

Balanço: Ao STF, 25% dos réus do mensalão já admitiram caixa 2

No entanto, Lewandowski e os demais ministros ficaram surpresos com uma nova mudança na metodologia. O ministro relator resolveu apresentar outras denúncias, desta vez por supostas fraudes cometidas em contratos publicitários entre as agências de Marcos Valério e o Banco do Brasil. O ministro Ricardo Lewandowski passou o final de semana inteiro preparando seu voto com base na metodologia de Barbosa, mas agora terá que alterar novamente sua análise, por causa do colega. Um interlocutor dos ministros informou que Lewandowski soube dessa nova mudança às 14h15, menos de 20 minutos antes do início da sessão.

O ministro revisor ficou indiferente com essa nova alteração na metodologia de apresentação do voto de Barbosa. Outros ministros demonstraram insatisfação, como o decano da Corte, Celso de Mello, e Marco Aurélio de Mello.

Nesta segunda-feira, advogados apresentaram uma petição contra o fatiamento do julgamento do mensalão. Eles também estão revoltados com a mudança adotada por Barbosa.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG