Cavendish vai ao STF e pede para não comparecer à CPI do Cachoeira

Ex-presidente da Delta, empresa suspeita de integrar o esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira, foi convocado a prestar depoimento no próximo dia 29 de agosto

iG São Paulo | - Atualizada às

Os advogados do empresário Fernando Antônio Cavendish, ex-presidente da Delta Construções, ingressaram no Supremo Tribunal Federal (STF) com um pedido de habeas corpus para que seu cliente seja dispensado de comparecer à CPI do Cachoeira . Ele foi convocado para falar à comissão no próximo dia 29 de agosto.

Especial iG: Leia tudo sobre a CPI do Cachoeira

A defesa de Cavendish alega que, embora a convocação o classifique como testemunha, “tal condição não se amolda à investigação”. O pedido de habeas corpus reproduz trechos de requerimentos anteriores e sustenta que o empresário é “inequivocamente apontado como pessoa sujeita a investigação”.

Leia mais: Empresária nega envolvimento com Cachoeira e diz que teve nome usado

Leia também: Ex-presidente do Detran-GO e sócia de empresa fantasma vão à CPI

Saiba mais: CPI quebra sigilo telefônico de mulher de Cachoeira e Perillo

O pedido dos advogados do ex-presidente da Delta é que o STF reconheça o direito de Cavendish de não comparecer à CPI na data marcada para o depoimento. Caso isso lhe seja negado, a defesa do empresário pede sejam asseguradas todas as garantias que vêm sendo dadas a outros convocados, como não responder a questionamentos dos parlamentares para que não produza provas contra si mesmo.

O pedido de habeas corpus a Fernando Cavendish será relatado pelo ministro Cezar Peluso.

Uma das maiores empreiteiras do País, a Delta é acusada pela Polícia Federal (PF) de integrar o esquema ilegal de Carlinhos Cachoeira, preso desde fevereiro por envolvimento em uma rede de jogos ilegais.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG