Inri Cristo vai ao STF e reza por “justiça” no julgamento do mensalão

Líder religioso que se proclama a reencarnação de Jesus Cristo entregou panfletos afirmando que Brasília precisa “higienizar sua imagem”

Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

O líder religioso que se proclama a reencarnação de Jesus Cristo, Inri Cristo, fez uma prece em busca de Justiça durante o julgamento do mensalão , na tarde desta quarta-feira. Ele chegou à sede do STF ao lado de suas assistentes, as chamadas “inriquetes” e entregou folhetos falando sobre o julgamento do mensalão.

Tese dos advogados: Ao STF, 25% dos réus do mensalão já admitiram caixa 2

Crime eleitoral: Ex-ministro e ex-deputado admitem caixa 2

Especial iG: Leia todas as notícias sobre o maior julgamento da história do STF

Cronologia: relembre os fatos que resultaram no escândalo do mensalão

Agência Brasil
O líder religioso Inri Cristo vai ao STF para acompanhar o julgamento do mensalão

Segundo ele, há sete anos seus seguidores pedem que ele se posicione sobre o assunto. Mas hoje, ele orou e pediu justiça. “Na condição de eleitor e conselheiro de juristas, vim aqui conferir se Brasília aproveitará a ocasião para higienizar a imagem ou continuará permitindo o assalto que os intrusos insistem em impor-lhe à revelia da nação brasileira”, afirmava um folheto entregue pelo líder religioso chamado “Manifesto à Terra de Santa Cruz”.

Leia mais: Defesa de ex-deputado do PT culpa ‘Zé Linguiça’ por denúncia no mensalão

Defesa usa Cazuza para atacar Gurgel: ‘Tua piscina está cheia de ratos'

Mais uma defesa: Advogado diz que ex-deputado petista usou dinheiro para caixa 2

No folheto, Cristo adota uma linha de raciocínio semelhante à do advogado de Roberto Jefferson, Luiz Barbosa. O líder religioso insinua que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comandou o suposto esquema do mensalão. “O delator (Roberto Jefferson) omitiu que o presidente era comandante da operação no intuito de focar o ministro, alvo de sua desavença pessoal”, disse Inri no folheto. “Nunca o povo brasileiro elegeu um patela”, disse em seguida.

Saiba tudo: Veja quem são os 38 réus do processo do mensalão no STF

Leia também: 'Mensalão será festival de absolvições', diz defesa de Roberto Jefferson

Após algumas orações e citações a “Deus Pai”, Inri Cristo deixou a sede do STF. “Rogo a meu pai, senhor e Deus, que inspire a presidenta Dilma no intuito de que restaure a dignidade da nação e da Nova Jerusalém”, escreveu no folheto.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG