Procurador-geral cria ‘efeito cascata’ entre advogados ao citar Chico Buarque

Após Gurgel citar trecho de Vai Passar, as defesas dos réus foram buscar inspiração no repertório do cantor para responder à altura; ontem um dos advogados citou Apesar de Você

Wilson Lima - iG Brasília | - Atualizada às

Quando o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, citou trecho da música Vai Passar , de Chico Buarque, durante a exposição da denúncia contra os réus do mensalão no segundo dia de julgamento na sexta-feira da semana passada, ele criou, sem querer, uma espécie de “efeito cascata musical” nas defesas.

Leia mais:  Sem querer, Chico Buarque vira trilha sonora do mensalão

Julgamento:  Advogados usam tom emocional e citam Carminha e Chico Buarque

Além do advogado Leonardo Yarochewsky, que representa Simone Vasconcelos, ex-diretora da agência SMP&B, e citou um trecho de Apesar de Você , outros defensores também apostaram nessa tentativa de “defesa musical”, também citando Chico Buarque.

Divulgação STF
Advogados se cumprimentam durante intervalo de julgamento do mensalão

Entretanto, alguns advogados confessaram que tiveram dificuldades em conseguir um trecho que sustentasse suas alegações. “Chico tem um repertório muito grande. É complicado olhar uma por uma”, disse um dos 38 advogados dos réus do mensalão que admitiu ter tentado se inspirar, sem sucesso, no compositor. “Quando a PGR citou Chico, os advogados se viram na responsabilidade de rebater à altura. Não se surpreenda se aparecerem outras defesas também citando Chico”, disse um outro advogado.

Supremo Tribunal Federal: Tese de 'mensalão' se mantém para 5 ministros

4º dia: Defesa usa tom emocional e citam Carminha e Chico Buarque

Banco dos Réus: Quem são os 38 acusados e a que crime respondem

Durante as exposições orais, os advogados têm liberdade para falar frases de impacto ou mesmo citar peças culturais. Esse tipo de estratégia visa tentar sensibilizar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Nos corredores do STF, entretanto, ministros reconheceram o esforço dos advogados, mas isso também foi visto como uma espécie de “enrolação” das defesas que tiveram pouca capacidade técnica de esclarecer as denúncias da Procuradoria.

Procurado pela reportagem do iG , Chico Buarque, por meio de sua assessoria, disse que "não está disponível para entrevistas e declarações no momento".

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG