Senador e relator Luiz Henrique (PMDB-SC) quer retomar conversas conversas com parlamentares para que um consenso possa ser votado

A comissão mista de deputados e senadores que analisa a Medida Provisória (MP) que complementa do novo Código Florestal cancelou a reunião que seria ralizada nesta terça-feira . Na reunião seriam votados os 343 destaques apresentados ao texto, que podem alterar o conteúdo final do projeto.

Leia também: Debate sobre Código Florestal está longe de ter fim no Congresso

Saiba mais: Comissão aprova relatório da MP do Código Florestal

Parlamentares discutem Medida Provisória do Código Florestal em reunião da comissão mista
Agência Brasil
Parlamentares discutem Medida Provisória do Código Florestal em reunião da comissão mista


O senador Luiz Henrique (PMDB-SC) pretende retomar as conversas com parlamentares ruralistas e ambientalistas ao longo do dia para chegar a um texto de consenso que possa ser votado na reunião prevista para começar amanhã (8), às 8 horas.

A Frente Parlamentar Agropecuária deve forçar as negociações e já anunciou que vai se concentrar em 20 pontos considerados prioritários pela bancada. Um dos principais é a área que os produtores devem recuperar ou preservar, que varia em uma "escadinha" de acordo com o tamanho das propriedades e a largura dos rios.

Outra questão é o artigo 1º da MP, que trata dos princípios da legislação. O senador Jorge Viana (PT-AC) avalia que será uma votação difícil. "Não tem ambiente para consenso", declarou.

Parecer: Relatório do Código Florestal desagrada bancada ruralista

Ele ressalta que todas as emendas acatadas pelo relator foram para agradar a bancada ruralista. "O senador Luiz Henrique já foi no limite do que podia ir do diálogo e das proposições. Não é certo colocar toda a culpa na legislação ambiental, por problemas do setor produtivo. Ainda mais quando é inteiramente possível fazer uma mediação entre os interesses do setor rural com proteção ao meio ambiente", afirmou.

Com Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.