Humberto Costa inaugura comitê e promete unificar PT do Recife

Com o apoio de três militantes petistas do grupo do prefeito João da Costa, preterido no seu projeto de tentar a reeleição, o candidato petista demonstrou otimismo em reunificar o partido

Agência Estado |

Agência Estado

Com o apoio de três militantes petistas do grupo do prefeito João da Costa - que foi preterido no seu projeto de tentar a reeleição -, o senador Humberto Costa , candidato à Prefeitura do Recife, disse neste domingo (5), na inauguração do seu comitê central, que está trabalhando para conseguir a total unidade da sigla. "Estamos no caminho certo e vamos conseguir", afirmou, em entrevista, referindo-se a uma aguardada adesão do prefeito à sua campanha.

Leia mais: Líder, petista minimiza ascensão de candidato de Eduardo Campos

Leia também: Humberto Costa mantém liderança no Recife com 35%, diz Ibope

João da Costa não participa de atos de campanha nem deu seu apoio ao senador que, por enquanto, conquistou a aproximação dos vereadores Osmar Ricardo e Jairo Brito e do ex-presidente estadual da sigla, Jorge Perez, candidato a vereador - todos ligados ao atual prefeito.

Regada a frevo e muita empolgação da militância, a festa indicou que o adversário preferencial do PT será o candidato do governador Eduardo Campos (PSB), Geraldo Julio .

Saiba mais: PT promete ir à Justiça contra jingle do PSB que cita Dilma

Eleições 2012: Leia todas as notícias sobre a disputa na capital pernambucana

Futura Press
O candidato do PT à Prefeitura do Recife, Humberto Costa, promete unificar o PT, que ficou rachado antes da definição da candidatura do partido

Além dos feitos do PT nos 12 anos à frente da prefeitura do Recife - mencionados nos discursos por Humberto e por seu companheiro de chapa, o ex-prefeito João Paulo -, uma das armas a serem largamente usadas na campanha será o apoio exclusivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidenta Dilma Rousseff , presentes nos cartazes e citados repetidamente. "Não vamos permitir o uso, em nenhuma forma, da imagem de Lula e Dilma por quem não está coligado", garantiu o senador. "No Recife, Lula tem lado e candidato", reforçou João Paulo.

De acordo com Humberto, a vinda do ex-presidente ao Recife e sua participação na campanha só depende de uma avaliação médica, prevista para segunda-feira, quando será definido o que ele pode e não pode fazer. Ele também destacou, na sua fala à militância, que o crescimento de Pernambuco (gestão Eduardo Campos) se deveu ao governo federal. "A história de Pernambuco e do Recife se divide no antes e depois de Lula."

Secretário-geral nacional do PT, Elói Pietá reiterou que a eleição do Recife é prioridade nacional do partido. A formação da chapa com os dois principais quadros do PT pernambucano, que tiveram de superar divergências entre si, é prova disso. Pietá prestigiou o evento ao lado da prefeita de Fortaleza, Luiziane Lins e seu candidato à sucessão, Elmano Freitas. No Recife e em Fortaleza, o PT tem o antigo aliado PSB como adversário.

"Não vamos permitir que o atraso predomine", discursou Humberto. "Ele bate sempre à nossa porta e muitas vezes aparece com discurso sedutor". Indagado se estava se referindo ao PSB, o candidato limitou-se a dizer que "cada um vai entender como a mensagem foi dada".

Sobre a aliança do governador Eduardo Campos (PSB) com o seu antigo desafeto, senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), na eleição municipal, Humberto Costa disse que o sentimento de todos no PT é de "estranheza". "O senador Jarbas faz oposição cerrada, agressiva, em alguns momentos violenta tanto à presidente Dilma como ao presidente Lula", afirmou. "É estranho que um partido que é nosso aliado, que tem nosso apoio, faça aliança com esse cidadão."

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG