Publicidade
Publicidade - Super banner
Política
enhanced by Google
 

Mensalão deve ser julgado sem pressão, diz Sarney

O presidente do Senado espera que o julgamento do processo do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que começa nesta quinta, seja isento e justo

Agência Estado |

Agência Estado

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse nesta quarta-feira que espera que o julgamento do processo do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF) seja isento e justo. "Este é um problema da Justiça. O que toda a nação está esperando é que seja um julgamento isento, um julgamento justo, um julgamento que atenda a estas expectativas nacionais, mas, ao mesmo tempo, que seja feito sem pressão e sem emoção", disse.

Leia também: Julgamento do mensalão testará 'confiabilidade' do STF, diz Eliana Calmon

Supremo: Ministros do STF reagem às declarações de Calmon

AE
Presidente do Senado espera que o julgamento seja sem pressão e sem emoção

Para Sarney, a "Justiça é justamente feita para não ter influência política nenhuma". Completou dizendo que "quando nós tivemos os primórdios da educação, há uma frase que está consagrada que sem justiça seria impossível democracia. Justiça significa independência e que ela possa julgar todos nós, cidadãos, baseados nas leis e nas garantias constitucionais", afirmou.

Números: processo do mensalão bate todos os recordes do STF

O presidente do Senado informou que já estão definidas as semanas em que haverá sessão de votação na Casa: na próxima, entre os dias 6, 7 e 8, e na última de agosto. Segundo ele, o calendário acertado é que, por causa das eleições municipais, haja duas sessões de votação até outubro.

Mensalão: Saiba o que fazem e por onde andam os réus

Banco dos Réus: Quem são os 38 réus e a que crime respondem

Apesar do recesso branco do Senado durante as eleições, Sarney afirmou que a CPI do Cachoeira "vai seguir seu trabalho normal". "A parte principal e mais visível, ela (a CPI) já realizou. Agora ela vai mais no desdobramento", disse. A comissão deve focar agora na análise de documentos, o que poderia, segundo Sarney, funcionar no período eleitoral.

Leia tudo sobre: josé sarneypmdbsenadojulgamento do mensalãomensalão

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG