MP eleitoral pede aprovação de candidaturas de Serra e Russomanno

Registros eram contestados sob alegação de que documentação estava incompleta; Serra aguarda avaliação da Justiça Eleitoral, enquanto Russomanno já recebeu certidão-registro

Agência Estado |

Agência Estado

O Ministério Público Eleitoral de São Paulo pediu a aprovação das candidaturas de José Serra (PSDB) e Celso Russomanno (PRB) na disputa pela Prefeitura da capital paulista. Os registros eram contestados na Justiça Eleitoral pelo promotor Roberto Senise Lisboa, que alegava que a documentação dos dois candidatos estava incompleta.

Acusação: Russomanno é sócio de empresário que defendeu na Câmara

AE
Celso Russomanno, candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PRB, visitou o bairro do Grajaú durante campanha na zona sul da capital paulista neste domingo

Cordialidade: Serra ensaia pacto de não agressão com Russomanno

Pesquisa:  Serra minimiza empate técnico com Russomanno

A contestação à candidatura de Serra foi retirada no sábado pela promotoria, que reavaliou a documentação do tucano e alegou que "o candidato preencheu todos os requisitos necessários para a disputa".

Há cerca de duas semanas, o Ministério Público questionou a falta de certidões criminais sobre um processo movido pelo deputado Ricardo Berzoini (PT) contra Serra.

Desistência: Berzoini abre mão de coordenar campanha de Haddad em São Paulo

Segundo o advogado do PSDB, Ricardo Penteado, os documentos haviam sido entregues no prazo e o promotor deu um parecer favorável à candidatura após avaliá-los. Agora, a Justiça Eleitoral vai analisar o pedido de aprovação do registro para emitir uma certidão de regularidade da candidatura.

Já Russomanno recebeu neste domingo, 29, sua certidão-registro. No dia anterior, o Ministério Público enviou à Justiça Eleitoral um parecer favorável à sua candidatura, retirando contestações pela falta de pagamento de uma multa de R$ 5 mil por uma condenação em uma eleição anterior.

Futura Press
José Serra participa de evento no Diretório Estadual do PSDB (20/07)

"O fato é que eu havia pago a multa em julho de 2011. Mas, não sei por qual motivo, o MP decidiu pedir a impugnação. Sempre estive tranquilo porque tinha convicção que nada devia à Justiça Eleitoral. Agora que está tudo esclarecido vamos em frente", escreveu Russomanno em sua página no Twitter.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG