Russomanno aproveita brigas no PT e PSDB para consolidar candidatura

Integrante do comando da campanha do PRB diz que candidato avança em área de influência de Marta na capital paulista

Ricardo Galhardo - iG Brasília | - Atualizada às

Dissidências, divergências, mágoas, rachas e disputas internas nos grandes partidos têm servido de alimento para a campanha de Celso Russomanno (PRB), que na última pesquisa Datafolha à Prefeitura de São Paulo aparece empatado tecnicamente com o tucano José Serra , líder na disputa.

Pesquisa Ibope: Com 31%, Serra lidera disputa em São Paulo

Leia também: Voz da Universal no Congresso, PRB quer dobrar número de prefeitos

Exposição: Às vésperas de sair do ar, Russomanno fez 'maratona' na Record

“A construção da candidatura do Serra no PSDB não foi uma unanimidade. No PT também não é uma unanimidade a candidatura do Haddad ”, sugeriu o presidente estadual do PRB, Vinicius Carvalho, integrante da coordenação de campanha.

O dirigente se refere ao fato de José Serra ter enfrentado prévias contra José Aníbal e Ricardo Tripoli e de Fernando Haddad ter sido escolhido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entre outros cinco nomes. Nos dois casos, as escolhas deixaram rastros de descontentamento.

A campanha de Russomanno vem se aproveitando das divergências internas no PSDB desde a fase anterior ao registro das candidaturas.

Leia mais: Em meio a boatos de pacto com Serra e Kassab, Russomanno ataca 

A decisão do PTB de se aliar ao candidato do PRB, e não ao PSDB, passou pelo crivo do governador Geraldo Alckmin (PSDB), rival de Serra nas disputas internas entre tucanos. A palavra final para a escolha de Flavio D’Urso (PTB) para vice de Russomanno foi do deputado estadual Campos Machado, líder máximo do PTB paulista, aliado de Alckmin e inimigo de Serra, que alijou indicados do petebista de cargos importantes quando foi governador.

Por outro lado, a campanha de Russomanno também tem se aproveitado das disputas internas no PT. Segundo um integrante do comando da campanha do PRB, pelo menos 30 líderes comunitários da Zona Sul embarcaram na candidatura de Russomanno. A região é uma das áreas de maior influência da senadora Marta Suplicy (PT-SP), que não tem escondido o descontentamento pela forma como Lula enfiou Haddad goela abaixo do PT. Para auxiliares de Russomanno, isso explica o fato de o candidato do PRB ser apontado como o preferido de uma grande parcela dos eleitores do PT em pesquisas de opinião.

De acordo com coordenadores da campanha de Russomanno, setores do PMDB, cujo candidato é Gabriel Chalita, também tem trabalhado pelo candidato do PRB. Peemedebistas ligados ao ex-governador Orestes Quércia (morto em 2010) estariam descontentes com o fraco desempenho de Chalita nas pesquisas e aproveitaram os canais criados quando o vereador Átila Russomanno (PP), irmão de Celso, foi candidato a vice de Quércia na eleição para o governo de São Paulo em 2006 para se aproximar, embora o próprio Átila não descarte ficar em um campo oposto ao do irmão já que seu partido, o PP, integra a coligação de Haddad.

“Tem muita gente que se movimenta de acordo com as pesquisas. Além disso, o Celso tem condições de dividir um bolo que os outros não têm”, disse um integrante da coordenação da campanha de Russomanno que, segundo o Datafolha está em situação de empate técnico com Serra na liderança das pesquisas com 26% contra 30% do tucano.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG