Empresa vende perfil no Twitter para candidatos nas eleições

MP de Minas investiga se alguém adquiriu o serviço, uma vez que a compra de perfis é ilícita, podendo levar à rejeição de contas pela Justiça e à cassação da candidatura

Agência Estado |

Agência Estado

"Seja eleito em 2012: contrate agora consultoria para o seu Twitter por 3 meses e fique entre os 200 primeiros mais seguidos do Brasil." A propaganda, veiculada numa conta do microblog, tem destino certo: candidatos que disputarão as eleições municipais este ano.

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Ser um dos políticos mais seguidos do País, porém, requer colocar a mão no bolso. Comprar um perfil com 300 mil seguidores custa R$ 6 mil. Se o candidato estiver interessado na consultoria, paga R$ 7 mil mais três parcelas de R$ 1 mil.

A venda de perfis no Twitter, porém, é prática ilegal, proibida nos Termos de Uso da rede social.

Rio:  Oposição a Paes aposta na internet para compensar pouco tempo de TV

São Paulo:  Na disputa pelo 'novo', Serra e Haddad são os primeiros a lançar sites

Diante das evidências, o Ministério Público Eleitoral de Minas começou a investigar se algum candidato adquiriu o serviço. O promotor eleitoral Edson Rezende alerta: a compra de perfil é ato ilícito, podendo levar à rejeição das contas pela Justiça e até mesmo à cassação da candidatura.

O especialista em marketing digital Gabriel Rossi classifica como "ridícula" tal comercialização. Para ele, quem compra e vende "seguidores" dá sinais de que não entende como a rede funciona. "O que adianta ter um milhão de seguidores, se a maioria nem pode votar, ou nem mora no Brasil? O cara vai ficar twittando para surdos."

Poder Online:  Serra adere a aplicativo que compartilha fotos e fotografa eleitores

Além disso, Rossi destaca que "relevância" não pode ser comprada e que, ao abrir uma conta no Twitter, o político deve ter um processo contínuo de relacionamento com o internauta. "Esse tipo de prática mostra bem como o mercado político na internet hoje ainda engatinha." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: eleições2012twitterredes sociais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG